Geral

Sumiço e matança de gatos geram investigação sobre condomínio de luxo em Maceió

O Ministério Público abriu procedimento preparatório para investigar uma denúncia sobre matança de gatos no condomínio de luxo Aldebaran Alfa, no Tabuleiro, em Maceió. A representação foi formulada pela Comissão de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), segundo publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (6). De acordo com a […]

Arquivo Publicado em 06/11/2013, às 15h44

None

O Ministério Público abriu procedimento preparatório para investigar uma denúncia sobre matança de gatos no condomínio de luxo Aldebaran Alfa, no Tabuleiro, em Maceió. A representação foi formulada pela Comissão de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), segundo publicado no Diário Oficial desta quarta-feira (6).

De acordo com a presidente da comissão da OAB, Cristiane Leite Magalhães, as denúncias dão conta de que gatos têm aparecido mortos com sinais de envenenamento. “Há informações de que um número significativo de gatos tem sumido. Depois, alguns aparecem mortos com suspeita de envenenamento”, explicou.

Ainda segundo Cristiane, o MP foi acionado para que haja uma melhor apuração do fato. “Nós podemos solicitar imagens de câmeras para descobrir o que está ocorrendo. Também queremos verificar a conduta do condomínio. E se for algum tipo de controle de roedores, em que se coloca veneno em áreas comuns? Mas isso [a matança] também pode ser fruto da ação de uma única pessoa, é preciso investigar”, completou.

Na portaria, o MP frisa que a ação atenta contra a proteção conferida aos animais pela Constituição Federal, “inclusive no tocante à proibição de submissão de animais à crueldade, bem como colocando em risco a saúde pública”.

De acordo com o promotor Alberto Fonseca, foi agendada uma audiência para esta semana, quando serão ouvidas a OAB e representantes do condomínio Aldebaran Alfa.

Jornal Midiamax