Geral

Sozinho, Pedro Chaves briga na Câmara para garantir limite de 20% para suplementação

Até o final do mandato de Nelsinho (PMDB), o limite era de 30% e foi diminuído para 5% no mandato de Bernal (PP), que acusa a limitação pelo fraco desempenho no primeiro ano. Mesmo assim, ele usou apenas 12% de suplementação.

Arquivo Publicado em 19/12/2013, às 14h05

None
1364037557.jpg

Até o final do mandato de Nelsinho (PMDB), o limite era de 30% e foi diminuído para 5% no mandato de Bernal (PP), que acusa a limitação pelo fraco desempenho no primeiro ano. Mesmo assim, ele usou apenas 12% de suplementação.

O secretário de Governo, Pedro Chaves, briga sozinho para aumentar o índice da suplementação de 5% para 20%. O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), atribui à limitação financeira a estagnação da Capital no primeiro ano do seu mandato. No entanto, o Executivo usou apenas 12% de suplementação, após a aprovação do crédito de R$ 17.612.000,00.


“Queremos no mínimo 20% de suplementação. Menos que isso é impossível de administrar”, afirmou Pedro Chaves. O secretário usou problemas sistemáticos como a dengue e a grande quantidade de chuva que atinge a Capital neste período para justificar o aumento do índice. “Só os 5% fica ingovernável com os problemas da dengue e as chuvas”, completou.


Na gestão anterior, a suplementação era de 30%. No fim do ano passado, diante da falta de diálogo do então futuro prefeito da Capital, os vereadores decidiram baixar para 5% a suplementação. Apesar da decisão, os quatro pedidos de créditos suplementares do Executivo foram concedidos pelo Legislativo.


As quatro leis já sancionadas totalizam R$ 168.890.00,00. Com a proposta aprovada na última quarta-feira (18) e que segue para sanção do prefeito, só em 2013, os 12% de suplementação atingem o valor de R$ 326.412.000,00.


A Comissão de Finanças e Orçamento da Câmara Municipal, ainda vai se reunir para decidir sobre a questão. Sem entrar em detalhes a presidente da comissão, vereadora Grazielle Machado (PR), disse apenas que vai aguardar a aprovação do PPA (Plano Plurianual) para discutir sobre a suplementação.


A votação do projeto de aumento da suplementação deve acontecer amanhã (20) quando será votado o Orçamento para 2014 em duas sessões extraordinárias.

Jornal Midiamax