Geral

Sessão Comunitária na Câmara discute problemas de esgoto e pavimentação no Tiradentes e entorno

No início da sessão Comunitária desta manhã de quarta-feira (03) na Câmara Municipal de Campo Grande, vários moradores estão reivindicando problemas que ocorrem nos bairros Tiradentes e entorno. Os temas variam desde a falta de asfalto nos bairros Novo Tiradentes, Tiradentes II e III, até problemas de esgoto a céu aberto. Com relação ao esgoto, […]

Arquivo Publicado em 03/07/2013, às 13h50

None

No início da sessão Comunitária desta manhã de quarta-feira (03) na Câmara Municipal de Campo Grande, vários moradores estão reivindicando problemas que ocorrem nos bairros Tiradentes e entorno. Os temas variam desde a falta de asfalto nos bairros Novo Tiradentes, Tiradentes II e III, até problemas de esgoto a céu aberto.

Com relação ao esgoto, o presidente do Tiradentes II, III e Novo Tiradentes, Marcelo Mariano contou que o vazamento é na via pública, em frente ao Asilo São João Bosco.

“Por conta desse esgoto, que fica jorrando água já mandei vários ofícios ao prefeito e vereadores. A prefeitura relata que esta providenciando o desentupimento. Mas os moradores suspeitam se tratar de crime ambiental, uma ligação clandestina do próprio Asilo ou do Residencial. É uma fedentina dia e noite, por isso, eu solicito providência da Câmara e do Ministério Público”.

Além disso, o comércio é prejudicado, pois o local do vazamento fica próximo a uma sorveteria e pastelaria. “É uma calamidade pública”desabafa Marcelo.

O vereador e engenheiro Edson Shimabukuro (PTB) questionou detalhes sobre o problema. Ele acredita que se trata de uma ligação clandestina, porque vaza diariamente, não apenas quando chove.

Outra moradora chamada Sueli Gomes dos Santos, presidente do Arnaldo Estevão Figueiredo II contou que há três anos está com 13 computadores, que chegaram por meio de um projeto do Governo Federal. Mas segundo ela, até hoje não pode usar os equipamentos, porque a prefeitura não autorizou. “A situação é constrangedora, já entrei em contato com a secretaria de desenvolvimento, e nada foi resolvido até agora”, relata.

O vereador Edil Albuquerque (PMDB) que era secretário de desenvolvimento na gestão do Nelsinho, explicou que os computadores vieram por meio de um programa nacional de inclusão digital. “Só o que falta é uma interlocução da Sedesc (Secretaria de Desenvolvimento) com Brasília, para garantir o desenvolvimento do projeto”.

Já a reivindicação do senhor Pereira, vice-presidente do conselho da região do Bandeira é sobre a falta de pavimentação. “Há oito anos o conselho aprova o asfalto para o Tiradentes II e III. Mas ninguém executa. Eu sugiro que os vereadores apresentem uma emenda parlamentar apara atender a comunidade”, disse o senhor.

Os vereadores prometem analisar com cautela todas as reivindicações e providenciar uma solução, na medida do possível.

Jornal Midiamax