Geral

Quase 300 barracos estão instalados em terreno da prefeitura de Campo Grande

Quase trezentos barracos já estão montados, em uma área da prefeitura localizado no bairro Jardim das Hortências, atrás do (Ceinf) Micheli Regina Locatelli localizado na avenida Engenheiro Luthero Lopes em Campo Grande. A maioria das famílias que conversou a reportagem, dizem ter inscrições de casas populares, em alguns casos em mais de dez anos, porém […]

Arquivo Publicado em 22/01/2013, às 22h29

None
1836693801.gif

Quase trezentos barracos já estão montados, em uma área da prefeitura localizado no bairro Jardim das Hortências, atrás do (Ceinf) Micheli Regina Locatelli localizado na avenida Engenheiro Luthero Lopes em Campo Grande.

A maioria das famílias que conversou a reportagem, dizem ter inscrições de casas populares, em alguns casos em mais de dez anos, porém não são contempladas.

Idosos, crianças e portadores de deficiências físicas, estão há quatro dias em barracões, numa temperatura superior a 40 graus.

Além da alta temperatura e chuvas, todos também estão vulneráveis por conta de insetos peçonhentos, já que o terreno era um matagal, que está sendo limpo pelos ocupantes.

“Não temos para onde ir, somos sem tetos”, diz a desempregada Cristiane da Silva Martins que agora mora em um barraco com uma filha de 10 meses e um filho de 5 anos.

“Preciso de uma casa, pergunta pra todo mundo aqui, se alguém tem condições de pagar um aluguel, a maioria aqui recebe R$ 600, como vai pagar um aluguel de R$ 400. E comida, água e luz, como que paga?”, diz o também desempregado Egmar Ferreira Arcanjo de 24anos.

Já Sueli Onorato do Prado de 54 anos, conta que mora de favor com a mãe, tem inscrição em casa popular do município há 12 anos, e, nunca foi contemplada. A maioria, de quem está no local, acha que a solução, é a distribuição decasas populares, em uma valor que dê para ser pago por quem está ali.

Em nota, a Prefeitura de Campo Grande informou que está moralizando o processo de distribuição das casas populares, para que o mesmo se torne mais justo.

Além disso, a Prefeitura ressalta que todas as invasões que aconteceram até o momento foram notificadas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano – Semadur, por meio da Divisão de Área Verde e Posturas Ambientais, para que as medidas legais sejam tomadas.

Jornal Midiamax