Geral

Profissionais serão capacitados para expansão da radioterapia no SUS

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está promovendo um curso de capacitação em avaliação de projetos básicos e executivos de Engenharia e Arquitetura, para atender ao Plano de Expansão da Radioterapia no SUS. O encontro, entre os dias 25 e 27 de junho, em Brasília (DF), disponibilizou cem vagas para engenheiros e arquitetos do […]

Arquivo Publicado em 26/06/2013, às 14h46

None

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está promovendo um curso de capacitação em avaliação de projetos básicos e executivos de Engenharia e Arquitetura, para atender ao Plano de Expansão da Radioterapia no SUS. O encontro, entre os dias 25 e 27 de junho, em Brasília (DF), disponibilizou cem vagas para engenheiros e arquitetos do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS).

O curso tem como principal objetivo a articulação de projetos de ampliação e qualificação de hospitais habilitados em oncologia, para atender as necessidades regionais de assistência oncológica e as demandas tecnológicas do Sistema Único de Saúde.

Atenção aos pacientes com câncer

Com a implantação do Plano, o Ministério da Saúde pretende aumentar em 32% a assistência aos pacientes com câncer, passando de 149 mil para 197 mil atendimentos por ano. Como diferencial, o Plano também prevê o gerenciamento e o acompanhamento das instalações físicas que irão abrigar o equipamento, colocando fim ao problema do equipamento doado e nunca colocado em uso.

Como parte do Plano, foi instituído ainda o Grupo Executivo Interministerial. Tendo a Anvisa como coordenadora, o referido Grupo tem como finalidade analisar e aprovar os projetos básicos e executivos de engenharia e arquitetura para a criação de 48 (quarenta e oito) novos serviços e ampliação de 32 (trinta e dois) serviços de radioterapia já existentes.

Importância da radioterapia

O câncer ocupa o hoje segundo lugar no ranking da taxa de mortalidade do Brasil. A radioterapia, umas das principais modalidades de tratamento, ainda não é ofertada de forma a cobrir a demanda de todo o País – segundo avaliação realizada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos (SCTIE), pela Secretaria de Atenção à Saúde (SAS) e pelo Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca).

Jornal Midiamax