Geral

Presidente do Sisem denuncia suposta manobra da prefeitura para beneficiar empresa

De acordo com o presidente, o executivo municipal tem a intenção de alterar cláusulas no contrato com a MS Card, empresa credenciada para executar o serviço de cartão de crédito, para que esta execute também o serviço de cartão de adiantamento salarial

Arquivo Publicado em 20/12/2013, às 22h09

None
573448913.jpg

De acordo com o presidente, o executivo municipal tem a intenção de alterar cláusulas no contrato com a MS Card, empresa credenciada para executar o serviço de cartão de crédito, para que esta execute também o serviço de cartão de adiantamento salarial

O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Campo Grande (Sisem), Marcos Tabosa, denunciou à reportagem do Midiamax uma suposta manobra da Prefeitura de Campo Grande para beneficiar uma operadora de cartão na prestação de serviços aos servidores públicos municipais.

De acordo com o presidente, o executivo municipal tem a intenção de alterar cláusulas no contrato com a MS Card, empresa credenciada para executar o serviço de cartão de crédito, para que esta execute também o serviço de cartão de adiantamento salarial. “A empresa não tem estrutura para executar este serviço. Então não será a MS Card que vai operar este e sim a Convênios Card”, afirma.

Conforme Tabosa, a ação caracteriza uma suposta manobra da prefeitura para beneficiar uma segunda empresa sem a realização de concorrência. “Tem um suposto esquema que vai atender a Convênios Card. Só que a prefeitura não pode colocar sem abrir licitação”, argumenta.

O Sisem defende a abertura de uma concorrência para a contratação do serviço de cartões de adiantamento salarial. “Eles estão fugindo da concorrência. O sindicato quer uma coisa transparente”, afirma.

Em novembro deste ano, a prefeitura cancelou os cartões da BMG e da rede Brasil Card que beneficiava servidores públicos municipais. Na época, foi informado, por meio da assessoria de imprensa, que novas propostas estavam sendo analisadas para ampliar os benefícios.

A reportagem do Midiamax entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Campo Grande, mas até o fechamento não obteve retorno.

Jornal Midiamax