Geral

Prefeitura muda projeto e deve reiniciar obras da Ernesto Geisel em 15 dias

Secretaria Municipal de Infraestrutura vai utilizar recursos próprios para complementar a obra, já orçada em R$ 40 milhões, e que deve acabar com as erosões e alagamentos

Arquivo Publicado em 29/06/2013, às 11h58

None
809450332.jpg

Secretaria Municipal de Infraestrutura vai utilizar recursos próprios para complementar a obra, já orçada em R$ 40 milhões, e que deve acabar com as erosões e alagamentos

As obras de revitalização da Avenida Ernesto Geisel, entre os bairros Coophama e Aero Rancho, em Campo Grade, devem ser retomadas em, no máximo, 15 dias. O projeto inicial, orçado em R$ 40 milhões, precisou ser alterado e o novo valor da reforma será divulgado na próxima semana.



De acordo com o secretário municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação, Semy Ferraz, técnicos especialistas foram contratados pela prefeitura para trabalharem no projeto nas últimas semanas. Eles chegaram a conclusão de que o estudo inicial será preservado, mas será necessário implementar algumas modificações.



“Legalizamos, fizemos a adequação do projeto e o fechamento. Vamos aproveitar o contrato anterior e a previsão é para que a obra inicie em 15 dias”, explicou Semy. No entanto, na prática, as obras só vão começar depois que o prefeito Alcides Bernal (PP) aprovar o projeto, já que os recursos serão estritamente municipais.



“Os documentos serão repassados ao prefeito, que deve fazer a análise e depois optar pela aprovação”, contou. Semy também disse que o valor real das readequações na via será conhecido na terça-feira (2), prazo previsto para os projetistas terminarem a ordem de serviço.



Em entrevistas anteriores, Semy contou que o projeto inicial para revitalizar a Ernesto Geisel precisou ser alterado porque ele previa um investimento alto e não contemplava todas as necessidades da avenida.



“A ponte da Rua Bom Sucesso, por exemplo, está de fora do projeto. Ela é um dos principais problemas da via, pois funciona como uma represa e uma barragem para a água da chuva. Por isso há necessidade de se fazer um estudo mais aprofundado”, disse Semy na época.


A ponte represa a água do rio Anhandui e causa o transbordamento, transformando a avenida Ernesto Geisel num “grande mar” nos dias de chuva forte. Moradores do bairro Marcos Roberto sempre interditam a via para cobrar o fim dos alagamentos na região.
Jornal Midiamax