A Prefeitura de São Paulo realizou um evento no auditório Simon Bolívar, no Memorial da América Latina, quando ele estava sem alvará de funcionamento, conforme informou o jornal Folha de S. Paulo. Há carca de dois meses, o local foi palco da audiência pública de apresentação das propostas do Arco Tietê, uma das vitrines da campanha eleitoral do prefeito Fernando Haddad (PT).

O Alvará de Funcionamento para Local de Reunião é um documento que comprova que o estabelecimento atende às normas de segurança para a concentração de grande número de pessoas. Renovado anualmente, o alvará do auditório está vencido desde 1993.

Sobre o assunto, a prefeitura afirma que foi aberto um processo solicitando novo alvará, “porém não foram apresentados os documentos e os atestados assinados por profissionais responsáveis pelas condições de segurança”. Já o centro cultural diz que tinha licença especial para o auditório e apresentou toda a documentação exigida.

Segunda a prefeitura, uma vistoria realizada no local em maio, para um evento temporário, “constatou irregularidades relacionadas, por exemplo, à instalação elétrica e acúmulo de matérias”. Porém, a administração municipal disse que exigiu providências, que foram atendidas.