Geral

Prefeito corta gratificação no período de festas e revolta funcionalismo no interior de MS

O prefeito de Douradina – distante a 194 km de Campo Grande, Darcy Freire (PDT), causou revolta na cidade entre os funcionários da prefeitura. Isso porque cortou consideravelmente os vencimentos dos servidores por meio de decreto, alegando contenção de gastos. O que provocou a ira dos funcionários foi que em outubro, Darcy havia incorporado 100% […]

Arquivo Publicado em 04/12/2013, às 11h50

None
1950937741.jpg

O prefeito de Douradina – distante a 194 km de Campo Grande, Darcy Freire (PDT), causou revolta na cidade entre os funcionários da prefeitura. Isso porque cortou consideravelmente os vencimentos dos servidores por meio de decreto, alegando contenção de gastos. O que provocou a ira dos funcionários foi que em outubro, Darcy havia incorporado 100% de gratificação no salário de funcionários com cargo de direção, chefia e assessoramento, por tempo de serviço.

Conforme o decreto 042/2013, publicado no dia 8 de novembro, o corte é uma medida emergencial de contenção de despesas, em virtude da queda de arrecadação e será feito para manter o equilíbrio entre despesa e receita. Do salário do prefeito, vice, e secretariado a baixa foi de 10%. Já os servidores tiveram cortados 50% do percentual de gratificações.

Ademir de Souza, que é funcionário da prefeitura há 21 anos, disse que nesse mês seu salário veio reduzido. “Eu não sei o porquê, já que ninguém explicou pra gente, mas teve desconto sim no meu holerite. A cidade toda está reclamando: tem gente que diz que vai recorrer na Justiça, outra conversa fala que teve funcionário rasgando contracheque na cara do prefeito”, conta.

Outro servidor, lotado na secretaria de obras, que pediu para não ser identificado, conta que trabalha há 6 anos na prefeitura e disseram para ele apenas que ‘o prefeito tira e põe gratificação quando quiser’. “Olha, essa gratificação é ainda da época da prefeita Nair. Um corte desse já baixa pra gente, por conta dos empréstimos que a maioria tem. De alguns não tiraram, mas outros ficaram agitados demais. Por lei, quem trabalha mais de cinco anos não pode perder a gratificação, é direito adquirido”, afirmou.

Para outro servidor, lotado na secretaria de educação há mais de 30 anos, a redução machucou bastante. “A gente aqui já ganha pouco, ai vem o prefeito e tira essa gratificação da gente. Isso machuca bastante. A gente não tem sindicato, nem com quem reclamar e ainda tem que ouvir ele dando entrevista na rádio, dizendo que não está fazendo nada de errado. O pior é que uns meses atrás ele incorporou 100% de gratificação pra um pessoal que tinha 5 anos de serviço em cargo de chefia. Então, a gente aqui ainda não sabe o que vai ser, a verdade é que estamos perdidos”, declarou.

Darcy Freire publicou em outubro, portarias autorizando a incorporação de 100% da gratificação ao salário de funcionários que atuam a cinco anos ininterruptos com função de direção, chefia e assessoramento. Na lista estão Diretora de Departamento Delazir Alves Trindade e o Secretário Municipal Gevanildo Lorente Fernandes.

Procurado pela reportagem, o prefeito disse que baixou o decreto porque está tentando enquadrar o município dentro da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal) e fez questão de dizer que ele vale até 31 de dezembro.

“Nada de direito adquirido, insalubridade foi mexido. Tive que tomar essa atitude porque estamos com o pescoço na guilhotina. Comecei pelo meu salário, do vice e secretários porque achei que seria mais justo, mas confesso que não gostaria de ter tomado essa atitude”, explicou. Sobre os salários incorporados pelos servidores Delazir e Gevanildo, Darcy disse que foi obrigado devido a uma Lei municipal, a qual deve ser encaminhada em breve à câmara para ser extinta.

Jornal Midiamax