Geral

PMA de Bataguassu apreende mais 1,3 km de redes de pesca no rio Paraná

Policiais Militares Ambientais de Bataguassu durante fiscalização nesta sexta-feira santa no lago da Usina Sérgio Motta, no rio Paraná, no município de Santa Rita do Pardo retiraram 20 redes de pesca, medindo 1,3 km, sendo todas com malhas de tamanhos proibidos. Foram soltos no rio, diversos peixes que estavam vivos presos às redes. Esta foi […]

Arquivo Publicado em 30/03/2013, às 12h58

None

Policiais Militares Ambientais de Bataguassu durante fiscalização nesta sexta-feira santa no lago da Usina Sérgio Motta, no rio Paraná, no município de Santa Rita do Pardo retiraram 20 redes de pesca, medindo 1,3 km, sendo todas com malhas de tamanhos proibidos. Foram soltos no rio, diversos peixes que estavam vivos presos às redes.

Esta foi a segunda grande apreensão deste material proibido em dois dias, os quais têm grande capacidade de depredação de cardumes, tanto que vários peixes foram salvos em ambas as apreensões.

Na quarta-feira à tarde, policiais de Batayporã tinham retirado 17 redes, medindo 1,5 km, no mesmo lago, naquele município. Em nenhuma das apreensões os proprietários das redes foram identificados.

O uso de petrechos proibidos do tipo redes de pesca é muito comum na região, pois, nos lagos este petrecho é permitido para o pescador profissional, desde que identificado e com malha de tamanho de 140 milímetros. Ocorre que muitos pescadores profissionais armam redes com malha menor à permitida e não identificam, além de pescadores amadores utilizarem estes petrechos sem previsão legal, o que caracteriza crime ambiental.

Jornal Midiamax