Geral

PMA apreende 1,5 km de redes de pesca no rio Paraná

Policiais Militares Ambientais de Batayporã (MS) estão mantendo a fiscalização intensificada durante a Operação Semana Santa nos lagos das Usinas do Rio Paraná, para evitar a pesca predatória, especialmente, o uso de petrechos proibidos do tipo redes de pesca, muito comum na região, pois, nos lagos é permitido o uso de redes para o pescador […]

Arquivo Publicado em 29/03/2013, às 00h17

None

Policiais Militares Ambientais de Batayporã (MS) estão mantendo a fiscalização intensificada durante a Operação Semana Santa nos lagos das Usinas do Rio Paraná, para evitar a pesca predatória, especialmente, o uso de petrechos proibidos do tipo redes de pesca, muito comum na região, pois, nos lagos é permitido o uso de redes para o pescador profissional, desde que identificadas e com malha de tamanho de 140 milímetros.

Ocorre que muitos pescadores profissionais armam redes com malha menor à permitida e não identificam, além de pescadores amadores utilizarem estes petrechos sem previsão legal, o que caracteriza crime ambiental.

Ontem à tarde, em uma missão no lago da Usina Sérgio Motta, os policiais retiraram 17 redes de redes de pesca, medindo 1,5 km, sendo todas com malhas de tamanhos proibidos. Foram soltos no rio, diversos peixes que estavam vivos presos às redes.

Esta foi uma quantidade impressionante de material proibido, os quais têm grande capacidade de depredação de cardumes, porém, apreensões destes petrechos têm sido comuns na região. Os proprietários das redes não foram identificados.

A manutenção da fiscalização e retirada destes petrechos precisam ser constantes, tendo em vista, a grande capacidade de captura e ocasionamento de mortes dos peixes, pois, os elementos armam o material pela madrugada e ficam somente conferindo, quando não observam presença da fiscalização.

Jornal Midiamax