Geral

Pistorius permanece detido enquanto programa de namorada morta estreia na TV

O atleta paralímpico sul-africano Oscar Pistorius, acusado de assassinar sua namorada, estava detido neste sábado pelo terceiro dia em uma delegacia de polícia de Pretória, ocupado em preparar sua defesa, enquanto os telespectadores aguardam as imagens de Reeva Steenkamp em um reality-show filmado antes de sua morte. A 5ª temporada de “Tropika Island of Treasure” […]

Arquivo Publicado em 16/02/2013, às 11h53

None

O atleta paralímpico sul-africano Oscar Pistorius, acusado de assassinar sua namorada, estava detido neste sábado pelo terceiro dia em uma delegacia de polícia de Pretória, ocupado em preparar sua defesa, enquanto os telespectadores aguardam as imagens de Reeva Steenkamp em um reality-show filmado antes de sua morte.

A 5ª temporada de “Tropika Island of Treasure” será transmitida às 18h30 locais (14h30 de Brasília) no canal público SABC1, que obteve a autorização da família, que deseja que “todo o mundo possa ver sua filha” e que ela seja “honrada como a jovem feliz, resplandescente, charmosa e vibrante” que era.

Reeva Steenkamp, a modelo de 29 anos que mantinha um relacionamento com Pistorius desde novembro e que supostamente foi morta por ele com uma pistola 9 mm no dia de São Valentim, é uma das sete celebridades do programa.

Por sua vez, o atleta dormiu bem, segundo uma fonte policial. Ao ser interrogado por telefone pela AFP, um policial da delegacia do bairro do Brooklyn de Pretória indicou que “tudo estava bem” na manhã deste sábado.

Pistorius se apresentou chorando na sexta-feira em seu primeiro comparecimento perante a justiça, que o acusou formalmente pelo assassinato de Reeva Steenkamp.

A polícia esclareceu que a arma utilizada para o crime pertencia a Pistorius, único suspeito neste caso e cuja pena, caso seja considerado culpado, pode ser a prisão perpétua.

Este atleta é uma fonte de inspiração para milhares de admiradores em todo o mundo. Pistorius nasceu sem o perônio e seus pais decidiram pela amputação de suas pernas abaixo dos joelhos aos onze meses. Durante muito tempo jogou rugby, antes de se lesionar gravemente e passar a se dedicar ao atletismo. Este atleta, apelidado de “Blade Runner” por correr com duas próteses de fibra de carbono, revolucionou o esporte paralímpico.

Foi autorizado a receber visitas em sua cela e neste sábado verá sua família e seus advogados, informou à AFP Peter van Zyl, seu agente.

Na sexta-feira, a família e o agente de Pistorius divulgaram um comunicado que dizia: “Este suposto assaasinato é rejeitado de forma contundente”.

No entanto, a defesa precisará fazer grandes esforços para provar “as circunstâncias excepcionais” que justificariam um regime de liberdade condicional para Pistorius.

A acusação estará representada por um importante membro da promotoria, Gerrie Nel, conhecido por ter enviado à prisão em 2011 o ex-chefe da Interpol e ex-chefe da polícia nacional, Jackie Selebi, por corrupção.

A audiência será retomada na terça-feira no tribunal de Pretória. Neste mesmo dia irá ocorrer o funeral de Reeva Steenkamp em Port Elizabeth (sul), onde vive sua família e onde, segundo os meios de comunicação sul-africanos, ela será cremada.

A audiência, que deve durar até quarta-feira, pode revelar o motivo pelo qual a promotoria considera que o crime foi um “assassinato com premeditação”. A imprensa indicou que o atleta aparentemente disparou contra Reeva através da porta do banheiro.

Os especialistas da polícia continuavam com suas investigações na casa de Pistorius neste sábado, indicou à AFP. Muitos admiradores do atleta, chocados e tristes, se negam a acreditar em um assassinato.

No entanto, o julgamento deverá explicar por que Pistorius, envolvido em vários incidentes que colocaram em evidência seu temperamento explosivo, conseguiu conservar sua autorização de porte de armas, em contradição com a legislação.  (Com informações à AFP).

Jornal Midiamax