Geral

PF prende sequestrador que ‘pulou do carro em movimento’ e libera empresário do PR

A Polícia Federal de Naviraí, a 366 quilômetros da Capital, prendeu anteontem (22), o sequestrador M.O.F., 33 anos, após ele tentar fugir de uma barreira, com um retorno brusco no veículo Pajero, com placas do Paraná. Na ocasião, a vítima, um empresário de 53 anos, também foi liberta. A perseguição durou em média 15 minutos, […]

Arquivo Publicado em 24/06/2013, às 14h56

None
1788502274.jpg

A Polícia Federal de Naviraí, a 366 quilômetros da Capital, prendeu anteontem (22), o sequestrador M.O.F., 33 anos, após ele tentar fugir de uma barreira, com um retorno brusco no veículo Pajero, com placas do Paraná. Na ocasião, a vítima, um empresário de 53 anos, também foi liberta.


A perseguição durou em média 15 minutos, sendo que o motorista pulou do carro em movimento, próximo ao posto da Receita Federal de Mundo Novo. Ele correu em direção a mata e atirou nos policiais, iniciando uma troca de tiros.


No banco do carona foi detido o sequestrador, que portava um revólver Taurus de calibre 38, além de munição de origem estrangeira. O empresário, de acordo com os policiais, encontrava-se amarrado em fios elétricos no banco traseiro do veículo.


Ele ressaltou que a ação dos três bandidos teve início por volta das 1h do sábado, quando a vítima saía de sua propriedade rural, localizada em Santa Isabel do Ivaí (PR). Em posse de uma escopeta, uma pistola .40 e um revólver 38, eles exigiram dinheiro e armas.


A vítima então foi amarrada e passou a madrugada em poder dos bandidos. Um dos meliantes deixou o grupo juntamente com outra pessoa durante o desenvolvimento da ação. Segundo a vítima, se não fosse a ação da Polícia Federal, que fazia blitz em estrada de terra ‘cabriteira’, certamente ele seria levado juntamente com o veículo para o Paraguai, pois era o único caminho da estrada.


O meliante preso informou a polícia que iriam vender o carro no Paraguai e que iriam receber cada um dos criminosos R$ 3 mil pelo veículo. Foi apreendido também um colchão que provavelmente seria utilizado no cativeiro da vítima.


A Polícia Civil do Paraná informou ainda que existe uma quadrilha de assaltantes atuando na região de Paranavaí e Luanda (PR) e que provavelmente este é o mesmo grupo pelas características dos fatos.

Jornal Midiamax