Geral

Para garantir mais transparência na Assembleia, deputados propõem mudanças no regimento

Os deputados Marquinhos Trad (PMDB) e Amarildo Cruz (PT) apresentaram, nesta terça-feira (2), projetos para mudar o Regimento Interno da Assembleia Legislativa e garantir mais transparência nas votações. Marquinhos quer voto nominal, com um minuto para cada parlamentar justificar opinião. “Lá fora ironizam que votamos com a bunda e não com a consciência”, comentou em […]

Arquivo Publicado em 02/07/2013, às 19h30

None
919347269.jpg

Os deputados Marquinhos Trad (PMDB) e Amarildo Cruz (PT) apresentaram, nesta terça-feira (2), projetos para mudar o Regimento Interno da Assembleia Legislativa e garantir mais transparência nas votações.


Marquinhos quer voto nominal, com um minuto para cada parlamentar justificar opinião. “Lá fora ironizam que votamos com a bunda e não com a consciência”, comentou em referência à atual forma de dar opinião por meio do “senta e levanta”.


“Com o voto nominal e justificado vamos garantir um parecer mais respeitado”, emendou. A regra só não valeria em caso de moções de pesar e de congratulação e na apreciação das indicações.


Amarildo, por sua vez, apresentou projeto para estender o fim do voto secreto na indicação de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE), para ocupação de cargo ou função em órgãos estaduais e para concessão de título honorífico. A proposta recebeu 18 assinaturas de apoio.


Na justificativa, o petista esclareceu que o voto secreto é um instrumento que deve ser usado para preservar a democracia, nunca para impedir a transparência. “Para fazer um trabalho com transparência no parlamento, com participação popular e eficiência é preciso extinguir os votos secretos”, frisou o deputado.

Jornal Midiamax