Geral

Para ‘boleiros’ de MS, México e Camarões são preocupações para Brasil no começo da Copa

Com as chaves da Copa do Mundo de 2014 já definidas, começam as especulações e os palpites da população sobre quem irá se classificar para as próximas fases e quem irá ficar pelo caminho. Em Campo Grande, dois dirigentes do futebol de Mato Grosso do Sul deram as suas opiniões sobre o grupo do Brasil […]

Arquivo Publicado em 06/12/2013, às 20h44

None

Com as chaves da Copa do Mundo de 2014 já definidas, começam as especulações e os palpites da população sobre quem irá se classificar para as próximas fases e quem irá ficar pelo caminho.

Em Campo Grande, dois dirigentes do futebol de Mato Grosso do Sul deram as suas opiniões sobre o grupo do Brasil e sobre um possível confronto com Espanha ou Holanda já nas oitavas de finais da competição.

Para o vice-presidente da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul, Marco Antônio Tavares, o adversário mais complicado do grupo do Brasil é o México que na sua opinião deve se classificar me segundo lugar.

Porém as dificuldades começam a aparecer na segunda fase, quando Brasil pode se complicar devido a qualidade dos possíveis adversários (Espanha ou Holanda são os favoritos do grupo B).

Tavares ainda lembrou que o presidente da Federação, Francisco Cesário, acompanhou o sorteio dos grupos da Copa do Mundo “in loco”.

Já o gerente de futebol do CENE, Paulo Telles, acredita que o Brasil enfrentará dificuldades, já que tem no grupo um adversário de quem nos últimos anos tem se tornado freguês, o México. No entanto ele avalia que dentro de casa e com o apoio da torcida as coisas podem mudar um pouquinho.

Para Paulo, apesar da “freguesia” para o México nos últimos anos, quem se classifica em segundo da chave será a seleção de Camarões, que tem um futebol mais baseado na força física de seus jogadores.

Para o gerente do Cene, o real “grupo da morte” é o grupo B, que conta com Holanda, Espanha, Chile e Austrália. Para ele, além das duas seleções européias, os chilenos tem sérias condições de se classificar devido ao fato de atualmente ser uma das melhores seleções da América do Sul.

O dirigente preferiu não arriscar um palpite de quais seleções do grupo B irão se classificar para as oitavas de finais.

Jornal Midiamax