Geral

OGX, de Eike, suspende projetos e ações desabam

A OGX, do empresário Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira que suspenderá o desenvolvimento de três campos de petróleo e interrompeu a construção de cinco plataformas, motivando queda de até 39 por cento das ações da companhia. A petroleira também informou que não investirá no aumento da produção dos poços do campo de Tubarão Azul, na […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 14h33

None

A OGX, do empresário Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira que suspenderá o desenvolvimento de três campos de petróleo e interrompeu a construção de cinco plataformas, motivando queda de até 39 por cento das ações da companhia.

A petroleira também informou que não investirá no aumento da produção dos poços do campo de Tubarão Azul, na bacia de Campos, onde a extração pode parar no ano que vem.

“Não existe, no momento, tecnologia capaz de viabilizar economicamente qualquer investimento adicional nesse campo visando aumentar o seu perfil de produção e os poços atualmente em operação poderão cessar de produzir ao longo do ano de 2014”, afirmou a OGX em fato relevante.

Citando novas interpretações de dados geológicos, a OGX disse ainda que não é viável o desenvolvimento dos campos Tubarão Tigre, Tubarão Gato e Tubarão Areia, onde as novas plataformas da OSX –também controlada por Eike– iriam operar.

A produção nos poços três poços marítimos da empresa (OGX-26HP, OGX-68HP e TBAZ-1HP), todos em Tubarão Azul, sofreram problemas operacionais e tiveram quedas e interrupções de produção nos últimos meses.

A produção marítima, que chegou ao pico de 13,2 mil barris de petróleo por dia em janeiro, despencou para 1,8 mil barris por dia em abril, recuperando-se a 6,8 mil barris por dia em maio.

A OGX vai desembolsar imediatamente 449 milhões de dólares para a OSX, destinados principalmente para a construção de duas plataformas para operar em um outro campo, o de Tubarão Martelo, que continua sendo desenvolvido e tem previsão de primeiro óleo para o fim deste ano.

A petroleira disse ainda que o aluguel pelo afretamento do FPSO OSX-1, plataforma conectada ao campo de Tubarão Azul, continuará a ser pago à OSX.

A OGX terminou março com 1,15 bilhão de dólares em recursos disponíveis e apenas o pagamento devido à OSX reduziria o caixa da companhia a cerca de 700 milhões de dólares.

As sucessivas frustrações com o nível de produção da OGX e a queima de caixa pela petroleira têm motivado forte queda das ações da empresa, contagiando os papéis de outras companhias de Eike listadas na Bovespa.

Neste pregão, OGX recuava quase 28 por cento às 11h56, para 0,57 real, contra variação negativa de 0,76 por cento do Ibovespa. Na mínima, o papel chegou a perder 39,2 por cento.

NOVO PLANO

A OGX vai submeter à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) uma revisão de seu plano de desenvolvimento para Tubarão Azul, com base nas conclusões da análise do comportamento dos poços.

A empresa teve prejuízo de 804,6 milhões de reais no primeiro trimestre, quase três vezes superior ao do mesmo período do ano anterior, devido a uma baixa contábil bilionária com poços secos.

Jornal Midiamax