Geral

‘Nomeação de Pedro Chaves é prova que não há nada definido para 2014’, diz deputada

Em meio ao burburinho que tomou conta da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (5), acerca da nomeação do suplente do senador Delcídio Amaral, Pedro Chaves (PSC) para o comando da secretaria de governo municipal, a deputada Dione Hashioka (PSDB) foi uma das únicas a tecer comentários à imprensa. Para a parlamentar, isso é um indicativo […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 15h43

None
1295329482.jpg

Em meio ao burburinho que tomou conta da Assembleia Legislativa na manhã desta terça-feira (5), acerca da nomeação do suplente do senador Delcídio Amaral, Pedro Chaves (PSC) para o comando da secretaria de governo municipal, a deputada Dione Hashioka (PSDB) foi uma das únicas a tecer comentários à imprensa. Para a parlamentar, isso é um indicativo de que não há definições para o pleito de 2014.

Os deputados estavam reticentes em comentar o assunto oficialmente, mas a nomeação foi o assunto do dia nos bastidores. Dione, por sua vez, visualiza que essa indicação é aprova de que muita água deve rolar até as composições de chapa para as eleições de 2014.

“Para mim, essa nomeação é uma prova inequívoca de que não tem nada definido para 2014”, afirmou. Questionada o porquê da constatação, a deputada rebateu com outra pergunta: “Não seria ele (Pedro Chaves) que assumiria o mandato no senado para que Delcídio saísse candidato ao governo de MS?”, indagou.

Apesar de fazer uma análise do cenário político que começa a ganhar novo formato, Dione não quis opinar se essa nomeação será capaz de tirar o prefeito Alcides Bernal (PP) do isolamento. O cargo foi concedido a Chaves oficialmente hoje, mas o anúncio foi feito pelo próprio, antes de entrar no gabinete de Bernal na tarde de segunda-feira (4).

Jornal Midiamax