Geral

Morre aos 88 anos Douglas C. Engelbart, inventor do mouse

O cientista americano Douglas C. Engelbart faleceu nesta terça-feira (3) em sua casa na Califórnia (Estados Unidos) por insuficiência renal. Engelbart morreu aos 88 anos e detém a patente da invenção de uma série projetos. No entanto, ele ficou conhecido por ter sido o criador do mouse. A informação da morte do cientista só foi […]

Arquivo Publicado em 03/07/2013, às 20h26

None
1775550997.jpg

O cientista americano Douglas C. Engelbart faleceu nesta terça-feira (3) em sua casa na Califórnia (Estados Unidos) por insuficiência renal. Engelbart morreu aos 88 anos e detém a patente da invenção de uma série projetos. No entanto, ele ficou conhecido por ter sido o criador do mouse. A informação da morte do cientista só foi confirmada na tarde desta quarta-feira (3) pela instituição Doug Engelbart.


Engelbart teve a ideia de criar o mouse em 1964. Na época, quase toda a interação entre o homem e o computador era feita por meio de cartões. Ele concebeu o conceito da necessidade de haver um “periférico de indicação” de direções em um computador durante uma conferência de computação gráfica realizada nos Estados Unidos.


O cientista, então, fez um esboço do que ele havia pensado e mostrou para William English, um engenheiro mecânico que colaborava com ele em projetos de pesquisa. Os primeiros modelos de mouse tinham três botões, pois era o máximo que a estrutura acomodava. Para Engelbart, quanto mais botões disponíveis, mais ele seria útil. A patente do mouse foi registrada em 1967 nos Estados Unidos.


Contrariando a ideia do criador do mouse, na década de 90, Steve Jobs, cofundador da Apple, adaptou o periférico para a linha de computadores Macintosh da companhia. Para o cofundador e os designers da companhia, um botão era o suficiente para o periférico. Segundo o “New York Times”, Jobs argumentava que com apenas um botão fica impossível de a pessoa apertar algo sem querer.


A primeira apresentação do mouse em público foi em 1968 durante uma conferência de cientistas da comunicação realizada em San Francisco, na Califórnia (EUA). Após isso, a Xerox e o Laboratório de Inteligência Artificial de Stanford aprimoraram o periférico e só na década de 80 ele se tornou disponível para uso comercial.


Douglas Carl Engelbert nasceu em janeiro de 1925 em Portland, no Estado de Oregon. Ele deixou três filhas, um filho, a esposa do segundo casamento (a primeira faleceu em 1997) e nove netos.

Jornal Midiamax