Geral

Menina baleada pelo Talibã pode se tornar a mais jovem a ganhar o Nobel

Uma ativista paquistanesa adolescente baleada pelo Talibã e um autor japonês que escreve sobre alienação e um mundo moderno fragmentado são apontados como cotados ao Prêmio Nobel às vésperas da premiação anual que começa na segunda-feira. Malala Yousafzai, 16 anos, baleada na cabeça pelo Talibã no ano passado por exigir educação para meninas, fez um […]

Arquivo Publicado em 06/10/2013, às 19h39

None
1439237246.jpg

Uma ativista paquistanesa adolescente baleada pelo Talibã e um autor japonês que escreve sobre alienação e um mundo moderno fragmentado são apontados como cotados ao Prêmio Nobel às vésperas da premiação anual que começa na segunda-feira.

Malala Yousafzai, 16 anos, baleada na cabeça pelo Talibã no ano passado por exigir educação para meninas, fez um discurso na Organização das Nações Unidas (ONU), em julho dizendo que ela não vai se curvar aos “terroristas” que pensaram que poderiam silenciá-la. Ela é favorita ao prêmio de paz entre os especialistas e agências de apostas.

“Eu tenho Malala Yousafzai na dianteira “, disse Kristian Berg Harpviken, diretor do PRIO (Peace Research Institute of Oslo). “A União Europeia ganhou o prêmio no ano passado, e o prêmio da UE foi mal compreendido e fundamentalmente questionado em muitos lugares.”

Um obstáculo pode ser a sua idade. Tawakkol Karman, ativista iemenita de direitos humanos e mais jovem vencedora até agora, tinha 32 anos quando ela recebeu o prêmio e alguns especialistas argumentam que o prêmio poderia sobrecarregar uma jovem como Yousafzai, que vive em Birmingham, na Inglaterra, e ainda enfrenta ameaças do Talibã .

A casa de apostas britânica Ladbrokes colocou o autor japonês Haruki Murakami na liderança para o prêmio de literatura. Murakami é muito popular no Japão, mas também se tornou conhecido no exterior por seus trabalhos que lidam com o isolamento, o amor e a tentativa de trazer o surreal para a vida cotidiana.

Seu primeiro romance, Hear the Wind Sing, foi publicado em 1979, mas Murakami chegou ao estrelato literário em 1987, com Norwegian Wood, uma história dominada por dor e perda e com o título inspirado em uma canção dos Beatles. Desde então, suas obras estiveram entre as mais vendidas.

Os campos da medicina, física, química e economia também serão contemplados. Oslo vai revelar o nome do vencedor do prêmio da paz na sexta-feira.

Os cientistas que previram a existência do bóson de Higgs – a partícula misteriosa que explica por que a matéria tem massa elementar – estão entre as principais dicas da Thomson Reuters para ganhar este ano o prêmio Nobel em física.

Os dois vencedores possíveis são o britânico Peter Higgs e físico teórico belga François Englert, segundo o especialista David Pendlebury, da Thomson Reuters. Suas previsões são baseadas na quantidade de citações dos trabalhos publicados por um cientista e seu sistema previu com precisão 27 ganhadores do prêmio Nobel desde 2002.

Vencedores em potencial para a economia incluem Sam Peltzman e Richard Posner, da Universidade de Chicago por suas pesquisas sobre as teorias da regulação.

Na medicina, os líderes incluem Adrian Pássaro, Howard Cedar e Aharon Razin, da Grã-Bretanha e de Israel, pelo trabalho em andamento conhecido como metilação do DNA. Entre os potenciais vencedores química estão os cientistas norte-americanos M.G. Finn, Valery Fokin e Barry Sharpless.

Jornal Midiamax