Geral

Mantega assegura que inflação está em queda e sob controle

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, assegurou há pouco que a inflação encontra-se em queda e sob controle. Mantega disse que há dados que indicam essa tendência. Mantega, que participou de audiência na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, criticou parlamentares de oposição que rejeitaram as medidas do governo para o controle […]

Arquivo Publicado em 26/06/2013, às 15h22

None

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, assegurou há pouco que a inflação encontra-se em queda e sob controle. Mantega disse que há dados que indicam essa tendência.

Mantega, que participou de audiência na Comissão de Finanças e Tributação da Câmara dos Deputados, criticou parlamentares de oposição que rejeitaram as medidas do governo para o controle da inflação.

“A dona de casa pode verificar isso no supermercado. Fizemos uma desoneração da cesta básica e todos podem observar [os resultados]. [Há] gente maximizando a situação. Parece que quer levar proveito dela”, disse.

Segundo o ministro, a inflação nos últimos anos vem se mantendo dentro da meta pela equipe econômica. Observou que, em alguns momentos, houve certa pressão devido à elevação do preço das commodities no mercado internacional e às condições climáticas no Brasil.

“Ao contrário do que acontecia em governo anteriores, [a situação] está mais sob controle do que no governo anterior. Em 99 e 2000 sempre ultrapassavam o teto superior da meta. O que não quer dizer que não haja pressões exteriores, como a elevação do preço das commodities. Ou [que não haja] uma chuva aqui [e ali] que eleve os prazos”, rebateu

Mantega disse que o preço dos alimentos pressionou a inflação, mas acrescentou que os índices registraram quedas. “A inflação está caindo e temos um monitoramento disso. Vai continuar assim. A inflação vai cair neste ano e no próximo ano”.

A expectativa de instituições financeiras é que a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), deve chegar a 5,86% este ano. Para 2014, a expectativa é 5,80%.

As projeções para a inflação neste ano e em 2014 estão acima do centro da meta de 4,5% e abaixo do limite superior (6,5%). Cabe ao Banco Central perseguir a meta de inflação e um dos principais instrumentos para influenciar a atividade econômica e calibrar a inflação é a taxa básica de juros, a Selic.

Jornal Midiamax