Geral

Manifestantes protestam por melhores condições de vida

Manifestantes voltaram às ruas neste domingo em São Paulo com pautas ligadas a melhores condições de vida na capital paulista. Segundo informações da Polícia Militar, ao menos dois protestos mobilizaram partes da cidade na manhã e na tarde de hoje, quando erca de 1.200 ativistas saíram às ruas em protestos pacíficos e sem registro de […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 01h15

None

Manifestantes voltaram às ruas neste domingo em São Paulo com pautas ligadas a melhores condições de vida na capital paulista. Segundo informações da Polícia Militar, ao menos dois protestos mobilizaram partes da cidade na manhã e na tarde de hoje, quando erca de 1.200 ativistas saíram às ruas em protestos pacíficos e sem registro de incidentes.

O maior protesto teve início na Régis Bittencourt, às 9h. Mobilizados em prol de melhores moradia e transporte público, os manifestantes interditaram a rodovia por duas ocasiões de aproximadamente 15 minutos cada enquanto seguiam para Taboão da Serra, na região metropolitana paulista.

A manifestação, que no auge contou com cerca de mil participantes e era acompanhada por policiais, percorreu algumas ruas do município, passou pela prefeitura e teve como ponto de chegada o shopping local, que optou por encerrar a a atividade comercial para evitar eventuais distúrbios. O ato terminou às 13h, sem registro de incidentes.

Uma segunda manifestação teve início às 10h no Parque do Povo. Unidas sob o lema “Dia D chega de violência”, cerca de 250 pessoas marcharam com cartazes e faixas até o Parque do Ibirapuera. Entre as reivindicações estava a redução da maioridade penal. Policiais acompanharam o ato, que terminou por volta das 13h, também sem registro de incidentes.

Esses protestos somam-se a uma onda de manifestações gestadas em São Paulo e muitas das outras grandes cidades do Brasil. Contrariamente dos últimos eventos, que levaram dezenas de milhares de pessoas às ruas e imersos em episódios de vandalismo, os protestos deste domingo estão sendo atentidos por um baixo número de pessoas focadas em causas específicas, sem registro de qualquer tipo de distúrbio.

Jornal Midiamax