Geral

Mais 3.000 médicos cubanos vão desembarcar no País

Mais 3.000 médicos cubanos chegam ao Brasil a partir desta segunda-feira (4), para ocupar vagas remanescentes da segunda etapa do Programa Mais Médicos, informou, neste sábado, 2, o Ministério da Saúde. A maior parte desses profissionais, 2.600 médicos, desembarcará no País até o dia 10 de novembro nas capitais onde vão cursar o módulo de […]

Arquivo Publicado em 02/11/2013, às 14h05

None

Mais 3.000 médicos cubanos chegam ao Brasil a partir desta segunda-feira (4), para ocupar vagas remanescentes da segunda etapa do Programa Mais Médicos, informou, neste sábado, 2, o Ministério da Saúde. A maior parte desses profissionais, 2.600 médicos, desembarcará no País até o dia 10 de novembro nas capitais onde vão cursar o módulo de avaliação do programa. A chegada dos 400 restantes está prevista para a semana seguinte.


Os profissionais vão preencher as vagas, de acordo com o Ministério da Saúde, que não foram ocupadas por candidatos brasileiros e demais estrangeiros. Os 3.000 médicos cubanos devem começar a atuar nos municípios em dezembro. No total, o programa deverá beneficiar mais 10,3 milhões de pessoas que habitam regiões carentes como o interior e periferias de grandes cidades brasileiras.


Até março de 2014, a meta do governo federal é atender a demanda por 12.996 médicos. Estão previstas ainda novas seleções neste ano. O programa Mais Médicos envolve hoje 3.664 profissionais. Do total, 819 são brasileiros e 2.845, estrangeiros. Esses profissionais atendem 1.098 municípios e 19 distritos indígenas, sendo a maioria deles no Norte e Nordeste do Brasil. A inclusão de mais 3.000 médicos cubanos permitirá ao programa encerrar 2013 com mais de 6.600 profissionais.


Lançado em julho, o Mais Médicos integra um projeto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, que visa acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde e ampliar o número de médicos nas regiões carentes do País. Os profissionais participantes recebem bolsa de R$ 10 mil por mês e ajuda de custo pagos pelo Ministério da Saúde Já os municípios são responsáveis por garantir alimentação e moradia aos selecionados.

Jornal Midiamax