Geral

Mãe de paciente psiquiátrico acusa técnico de enfermagem do HU de agressão

A mãe de um paciente que estava internado na ala psiquiátrica do HU (Hospital Universitário) de Dourados registrou boletim de ocorrência no 1º Distrito Policial acusando um técnico de enfermagem de agredir o filho dela, de 29 anos. Segundo a dona de casa Maria Helena Gimenez Rodrigues, 54, no dia 30 de outubro ela foi […]

Arquivo Publicado em 05/11/2013, às 14h16

None
1903208904.jpg

A mãe de um paciente que estava internado na ala psiquiátrica do HU (Hospital Universitário) de Dourados registrou boletim de ocorrência no 1º Distrito Policial acusando um técnico de enfermagem de agredir o filho dela, de 29 anos.


Segundo a dona de casa Maria Helena Gimenez Rodrigues, 54, no dia 30 de outubro ela foi contatada por uma assistente social do hospital para que fosse buscar o filho, que estaria em condições de alta.


“Eles me ligaram e quando cheguei lá encontrei o menino todo espancado, com o rosto muito inchado, fiquei desesperada. Peguei ele imediatamente e fui até a delegacia. Ele me disse que tinha sido segurado por dois enfermeiros e agredido pelo técnico de enfermagem, porque tinha se recusado a tomar uma medicação. Disse ainda que duas enfermeiras assistiram a tudo, e que o técnico fechou a porta do quarto e deu vários socos e pontapés antes de amarrar ele”, acusou Maria.


Com vários ferimentos no rosto, o rapaz teria, segundo a mãe, sido levado ao Hospital da Vida, onde passou por exame que diagnosticou que o nariz dele estava quebrado. O rapaz sofre de esquizofrenia e transtorno bipolar, e por mais de uma vez esteve internado no HU após sofrer crises, conforme relato da mãe.


“Nenhuma reação que ele possa ter tido justifica essa sessão de agressões. Essas pessoas não tem a mínima condição de trabalhar em um hospital, muito menos em uma ala psiquiátrica. Eu queria ver se fosse com o filho deles. É um absurdo o que aconteceu, e espero que sejam todos responsabilizados”, disse a dona de casa, que informou à reportagem que vai processar o técnico de enfermagem acusado da agressão, o hospital e também o médico que atendeu o rapaz e que, segundo ela afirma, dificultou o atendimento ao filho.

Jornal Midiamax