Geral

Madrinha de 42 novos advogados, Tatiana destaca ‘centelha de esperança’ no País

A advogada e professora universitária Tatiana Ujacow foi a madrinha de 42 novos advogados e dez estagiários, em evento realizado na manhã desta quarta-feira (25), na sede da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul). Em discurso, a conselheira estadual destacou a “centelha de esperança” no país. “Com todo o […]

Arquivo Publicado em 26/06/2013, às 18h53

None
168632575.jpg

A advogada e professora universitária Tatiana Ujacow foi a madrinha de 42 novos advogados e dez estagiários, em evento realizado na manhã desta quarta-feira (25), na sede da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional de Mato Grosso do Sul). Em discurso, a conselheira estadual destacou a “centelha de esperança” no país.


“Com todo o cenário que vislumbramos, de lutas sociais, de manifestações populares, de indignação, penso que vocês, jovens advogados que aqui estão, serão a centelha de esperança na semeadura dos ideais, dos princípios do direito, e, parafraseando Euclides da Cunha, em conferência da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, no ano de 1907, penso que vocês serão em breve uma componente nova, entre as forças cansadas da humanidade”, discursou Tatiana.


Dentre os novos advogados, muitos foram alunos de Tatiana no curso de Direito da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). “Foi uma emoção muito grande, ver esses aluno que pude ajudar a enfrentar os receios do exame (da OAB), e ver o crescimento deles, fiquei muito emocionada”, afirmou a conselheira estadual da Seccional.


Tatiana foi também paraninfa da turma da UFMS, de onde saíram vários dos que se tornaram advogados nesta quarta-feira.


“O motivo da celebração transcende este ato, pois perpassa anos e anos de estudo, de dedicação, permeados também de sofrimento e de grande sacrifício”, comentou a advogada.


Ao aconselhar os novos advogados, Tatiana ainda lembrou o filósofo Immanuel Kant: “a moralidade e a humanidade são as únicas coisas que não têm preço”.

Jornal Midiamax