Geral

Lula vai participar de festividades em Cuba e pode visitar Chávez

Cuba comemorará na segunda-feira os 160 anos do nascimento de seu herói nacional, José Martí, com um encontro internacional pelo “equilíbrio do mundo”, para o qual foram convidados intelectuais e políticos, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o teólogo Frei Betto. O encontro acontecerá na segunda e terça-feira no Palácio das […]

Arquivo Publicado em 27/01/2013, às 00h44

None

Cuba comemorará na segunda-feira os 160 anos do nascimento de seu herói nacional, José Martí, com um encontro internacional pelo “equilíbrio do mundo”, para o qual foram convidados intelectuais e políticos, entre eles o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o teólogo Frei Betto.

O encontro acontecerá na segunda e terça-feira no Palácio das Convenções de Havana e também estarão presentes o Prêmio Nobel da Paz argentino, Adolfo Pérez Esquivel, e o presidente do Senado francês, Jean-Pierre Bel. Frei Betto também receberá o Prêmio José Martí 2013, concedido pela Unesco e Cuba, informou a chancelaria cubana.

Martí nasceu em Havana, em 28 de janeiro de 1853, e, na véspera de seu aniversário, centenas de universitários marcham com tochas à noite para homenageá-lo. Ele é venerado tanto pelos partidários do regime como pelos anticastristas.

Escritor e jornalista, fundador do Partido Revolucionário Cubano e iniciador da segunda guerra de independência contra a Espanha, Martí morreu em combate contra as forças espanholas em 19 de maio de 1895.

Lula se reunirá com o presidente cubano Raúl Castro e também planeja visitar o presidente venezuelano Hugo Chávez, que se encontra internado em Havana por causa de um câncer.

O programa divulgado pelos assessores de Lula, no entanto, não menciona uma visita a Chávez durante sua permanência de 48 horas em Havana, de onde partirá com destino a Santo Domingo e depois Washington.

Na terceira “Conferência Internacional pelo equilíbrio do mundo” será apresentado na terça-feira o livro “Os últimos soldados da guerra fria”, de Fernando Morais, sobre os cinco agentes cubanos detidos em 1998 nos Estados Unidos e condenados à prisão por espionagem.

Jornal Midiamax