Geral

Kemp alerta que PT não pode fechar aliança ‘a qualquer preço’

Diante das tratativas de aliança com partidos rivais em Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Pedro Kemp (PT) alertou que o PT não pode firmar aliança a “qualquer preço”. Para ele, a legenda, antes de qualquer coisa, precisa “preservar sua identidade”. “Aliança sim, mas não a qualquer preço”, defendeu Kemp. “Não podemos perder nossa […]

Arquivo Publicado em 14/02/2013, às 17h57

None
1252255449.jpg

Diante das tratativas de aliança com partidos rivais em Mato Grosso do Sul, o deputado estadual Pedro Kemp (PT) alertou que o PT não pode firmar aliança a “qualquer preço”. Para ele, a legenda, antes de qualquer coisa, precisa “preservar sua identidade”.


“Aliança sim, mas não a qualquer preço”, defendeu Kemp. “Não podemos perder nossa identidade de participação popular, de luta de classe, dos movimentos sociais. Temos que preservar nosso plano de governo, por isso, é preciso avaliar bem com quem podemos caminhar”, emendou.


Para o deputado, o governador André Puccinelli (PMDB) “gostaria muito” de fechar aliança com o PT e concorrer ao Senado na chapa de Delcídio do Amaral (PT), pré-candidato ao governo. “Seria uma boa oportunidade para ele se eleger”, explicou.


Questionado sobre como ficariam as pré-candidaturas da vice-governadora Simone Tebet (PMDB) e do ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB) ao governo, Kemp avaliou que Puccinelli faz “jogo de cena” quando as incentiva.


Além do PMDB, rival número um do PT no Estado, o PSDB, adversário da presidente Dilma Rousseff (PT), estaria de olho na vaga de senador na chapa de Delcídio, com a pré-candidatura no deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB).


Sobre a possibilidade, de os três partidos deixarem a rivalidade de lado e se unirem em um chapão, Kemp defendeu o confronto. “O PT, como um partido democrático, defende o contraponto, que até serve para legitimar ainda mais a nossa candidatura”, disse.

Jornal Midiamax