Geral

Frota nova de veículos reforça transporte escolar dos estudantes da zona rural

Os estudantes do interior do Estado de Mato Grosso do Sul, residentes na zona rural e regularmente matriculados nas escolas da rede pública, terão ainda mais motivos para frequentar as aulas com assiduidade. O governo do Estado adquiriu 300 veículos para reforçar o transporte escolar e levar os estudantes com ainda mais segurança. Muitos pais […]

Arquivo Publicado em 13/02/2013, às 10h46

None
459142359.bmp

Os estudantes do interior do Estado de Mato Grosso do Sul, residentes na zona rural e regularmente matriculados nas escolas da rede pública, terão ainda mais motivos para frequentar as aulas com assiduidade. O governo do Estado adquiriu 300 veículos para reforçar o transporte escolar e levar os estudantes com ainda mais segurança.


Muitos pais ficam satisfeitos com o transporte por garantir tranquilidade e mais conforto para quem vai à escola em ônibus zero quilômetro, que são equipados com bagageiros para acomodar as mochilas, cintos de segurança em todos os bancos e piso antiaderente.


A frota é composta por 170 micro-ônibus, e os outros 130 veículos maiores, de 42 lugares. A aquisição está inserida no programa federal que repassa ao Estado recursos para esse investimento, por meio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.


“A entrega aos municípios será feita levando em conta o número de alunos e linhas que cada um atende, mas cada um receberá, pelo menos, um ônibus e um micro-ônibus, que já estão no pátio do Detran para os procedimentos de emplacamento e documentação”, destacou a secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa.


O transporte escolar é uma área em que o governo do Estado é parceiro das prefeituras, por meio do repasse mensal dos valores por aluno às prefeituras, por meio de convênio. Esses valores são diferentes para as linhas mistas (que levam alunos das redes municipais e estadual) e as linhas puras (quando são transportados apenas os de escolas do Estado).


“Eu vejo a rede pública de ensino, não separo redes municipais da Rede Estadual, tem que haver integração para que nosso Estado desponte, ainda mais, no cenário nacional da educação”, explicou Nilene Badeca.

Jornal Midiamax