Geral

Fiscalização de mototáxis e motoentregadores começa no 2 de abril

A Ciptran e a Agetran vão começar a fiscalizar o cumprimento da resolução 356 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a partir do dia 02 de abril. As novas regras especificam normas de segurança e equipamentos obrigatórios para mototaxistas e motoentregadores, com intuito de regulamentar o serviço prestado para a população. As exigências da resolução, […]

Arquivo Publicado em 26/03/2013, às 13h15

None
1935016180.jpg

A Ciptran e a Agetran vão começar a fiscalizar o cumprimento da resolução 356 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a partir do dia 02 de abril. As novas regras especificam normas de segurança e equipamentos obrigatórios para mototaxistas e motoentregadores, com intuito de regulamentar o serviço prestado para a população.

As exigências da resolução, de 2010, passariam a ser cobradas em agosto do ano passado, mas foram prorrogadas para que os profissionais se adequassem. Em abril, passam a ser obrigatórios colete, capacete e baú das motos com faixas refletivas; antena “corta-pipa” e “mata-cachorro” (espécie de caneleira para proteção do condutor em caso de tombamento da moto).

“As exigências são para garantir a segurança do trabalhador e de quem usa o serviço. “As faixas refletoras, por exemplo, permitem que os motoristas enxerguem o motociclista na pista com mais facilidade, o que reduz bastante o número de acidentes”, diz a diretora-presidente da Agetran, Kátia Maria Castilho.

A partir do dia 02 de abril, as penalidades previstas em lei passarão a ser aplicadas em blitz e fiscalizações da Agetran e da Ciptran. A ausência de qualquer um dos equipamentos será considerada infração leve a gravíssima, com multas que variam de R$ 85 a R$ 195, até a apreensão do veículo.

Blitz educativa

Agetran e a Ciptran fazem hoje (26) uma blitz educativa para orientar os profissionais do setor sobre a nova resolução, na avenida Afonso Pena, esquina com a rua Rui Barbosa. Os agentes de trânsito abordam os motociclistas, averiguam a condição das motos, e explicam o que falta ser ajustado. “Hoje, vamos só orientar os condutores. Mas, a partir de abril, com a resolução em vigor, a fiscalização será feita e as multas serão aplicadas”, diz a major Tamara, da Ciptran.

Vanderlei Cipoek, 38 anos, foi um dos profissionais abordados na blitz. A moto e os equipamentos do motofretista estavam de acordo com a resolução “Desde que as novas regras surgiram, o pessoal da empresa comprou o que precisava para todos os trabalhadores. É bom, porque é uma forma de sentir mais seguro na nossa rotina”, conta.

Jornal Midiamax