Geral

Filhos de ministros são acusados de corrupção na Turquia

Dezesseis pessoas, incluindo os filhos de dois ministros, foram acusados neste sábado em uma investigação de corrupção na Turquia que atingiu o núcleo da elite governante e ameaçou a autoridade do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan. O gerente-geral do banco estatal Halkbank também foi mencionado como uma das pessoas acusadas sob a ação que Erdogan chamou […]

Arquivo Publicado em 21/12/2013, às 12h15

None

Dezesseis pessoas, incluindo os filhos de dois ministros, foram acusados neste sábado em uma investigação de corrupção na Turquia que atingiu o núcleo da elite governante e ameaçou a autoridade do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan.

O gerente-geral do banco estatal Halkbank também foi mencionado como uma das pessoas acusadas sob a ação que Erdogan chamou de “operação suja” e cuja meta seria minar seu governo.

Erdogan agravou a crise no sábado ao dizer que alguns embaixadores estrangeiros no país que não foram mencionados estiveram envolvidos em “provocações”.

Alguns jornais pró-governo acusaram o embaixador dos EUA de encorajar a medida contra o Halkbank – acusação negada pelo diplomata.

A investigação, que abalou os mercados, é vista por muitos como sintoma de uma disputa de poder com um clérigo residente nos EUA que exerce influência na polícia e no judiciário. Dúzias de chefes de polícia foram retirados de seus postos desde que as detenções começaram.

O clérigo, Fethullah Gulen, criticou o expurgo na polícia, invocando a punição de Deus contra os responsáveis.

Erdogan não chegou a apontar Gulen como a mão por trás da investigação, mas a tensão entre o movimento (ou serviço) Hizmet, de Gulen, com Erdogan tem aumentado nos últimos meses.

Jornal Midiamax