Geral

Encontrados novos corpos de imigrantes da tragédia de Lampedusa

Mergulhadores italianos encontraram neste domingo mais 32 corpos de imigrantes vítimas de um naufrágio na em Lampedusa na quinta-feira, uma “tragédia” que não pode ser repetida, segundo a ministra italiana de Integração. A operação de recuperação dos cadáveres, suspensa na sexta-feira em consequência do mar agitado, foi retomada na manhã de domingo e permitiu recuperar […]

Arquivo Publicado em 06/10/2013, às 15h00

None

Mergulhadores italianos encontraram neste domingo mais 32 corpos de imigrantes vítimas de um naufrágio na em Lampedusa na quinta-feira, uma “tragédia” que não pode ser repetida, segundo a ministra italiana de Integração.


A operação de recuperação dos cadáveres, suspensa na sexta-feira em consequência do mar agitado, foi retomada na manhã de domingo e permitiu recuperar 32 corpos.


O balanço agora é de 143 corpos recuperados, de quase 500 migrantes, em sua maioria da Eritreia e Somália, que viajavam em um barco clandestino que havia zarpado da Líbia e que afundou na madrugada de quinta-feira após um incêndio acidental.


No total, 155 pessoas foram resgatadas com vida, incluindo o comandante da embarcação, e as autoridades temem um balanço final de 300 a 360 mortos.


As autoridades cogitam resgatar os destroços do barco, afundado a meio quilômetro da costa e a 47 metros de profundidade, para continuar com a busca.


Antes de viajar a Lampedusa, a ministra italiana da Integração, a italiano-congolesa Cecile Kyenge, pediu em uma entrevista ao jornal Corriere della Sera que não aconteçam mais tragédias como esta e afirmou que são necessárias políticas de prevenção.


Kyenge defendeu políticas de imigração menos rígidas e anunciou que triplicará o número de vagas nos centros italianos para imigrantes, “de 8.000 a 24.000”.


O centro de recepção de Lampedusa está saturado, com apenas 250 vagas para mil pessoas, em um ano no qual 30.000 imigrantes chegaram à Itália.


Roma incluiu o tema imigração na reunião do conselho de ministros do Interior da UE na terça-feira em Luxemburgo.

Jornal Midiamax