Geral

Em reunião com ministros, Dilma garante que mudanças serão feitas com responsabilidade

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (1º) que o seu governo não vai fazer nenhum corte de gastos sociais. “O povo nas ruas não pediu redução de gastos sociais e meu governo não fará redução de gastos sociais”. Ela está reunida com sua equipe ministerial na residência oficial da Granja do Torto para discutir as […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 22h44

None

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (1º) que o seu governo não vai fazer nenhum corte de gastos sociais. “O povo nas ruas não pediu redução de gastos sociais e meu governo não fará redução de gastos sociais”. Ela está reunida com sua equipe ministerial na residência oficial da Granja do Torto para discutir as manifestações no país e as medidas que serão adotadas pelo governo.

Perguntada sobre uma das principais demandas da população nas ruas, o preço das tarifas do transporte público, ela disse que qualquer mudança deve ser feita com responsabilidade. “Como fazer uma coisa importante para o país assegurando, ao mesmo tempo, a robustez fiscal. Temos de fazer com responsabilidade. Isto é função do governante. Senão, vamos cair na situação que hoje está a Europa.

Segundo a presidenta, o que o país conquistou nos últimos dez anos é fruto de programas sociais como o Bolsa Família, Minha Casa, Minha Vida, Luz para Todos, política de compra de alimentos. “A população mais pobre do país pode ter certeza: o meu governo jamais negociará qualquer redução de gastos sociais, vamos manter investimentos”, disse.

Ela também garantiu que o governo brasileiro está reagindo de forma prudente por meio do Banco Central e do Ministério da Fazendo para reduzir a volatilidade do câmbio. Segundo Dilma, há uma alteração na situação econômica internacional, principalmente por causa de mudanças na política americana.

“Garantindo hedge [proteção] para quem quiser e dando folga para quem quiser, porque temos situação que permite isso. Com a quantidade de reservas [internacionais] que nós temos, com a posição firme do Banco Central no sentido de não ser contra o que o mercado quer, reduzindo a volatilidade [do câmbio] apenas. O que queremos é reduzir a volatilidade e os efeitos na economia”, declarou a presidenta.

Jornal Midiamax