Geral

Dorsa e reitora da UFMS batem boca em CPI sobre controle das contas do HU

Célia Maria e ex-diretor-geral do Hospital Universitário trocam acusações sobre quem tinha controle das contas da instituição, onde houve desvio de recursos e direcionamento nas licitações

Arquivo Publicado em 04/07/2013, às 18h59

None
1162052595.jpg

Célia Maria e ex-diretor-geral do Hospital Universitário trocam acusações sobre quem tinha controle das contas da instituição, onde houve desvio de recursos e direcionamento nas licitações

A reitora da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Célia Maria de Oliveira, e o ex-diretor-geral do Hospital Universitário, José Carlos Dorsa, bateram boca, há pouco, em depoimento na CPI da Saúde da Câmara Municipal. Eles discordaram sobre quem controla o HU, alvo da Operação Sangue Frio da Polícia Federal, que comprova desvio de recursos públicos e direcionamento das licitações.


Segundo Dorsa, a reitora tinha conhecimento das ações realizados no hospital. A reitora rebateu o ex-diretor, que foi nomeado por ela para comandar o hospital, que ele tinha autonomia para gerir o hospital e havia uma comissão de licitação específica.


Célia disse ainda que não assina nada pelo HU, nem obras nem pregão eletrônico nem edital nem contratação.


Dorsa rebateu afirmou que todo o processo interno do Hospital Universitário passa por auditoria interna. E voltou a afirmar que a reitora é que responde pelo hospital se alguma irregularidade for constatada pelo Tribunal de Contas da União (TCU).


Estudantes da UFMS compareceram para acompanhar a acareação na CPI da Saúde. Eles manifestaram apoio às físicas nucleares Silmara e Regina, que denunciaram a desativação do setor de radioterapia do HU. Regina até denunciou à CPI que está sofrendo ameaças de morte após confirmar as denúncias em depoimento à Polícia Federal.


O vereador Flávio César (PTdoB) alertou a reitora e o ex-diretor do HU que os depoimentos foram transcritos e eles podem ser responsabilizados se mentirem para os vereadores.


É o maior escândalo na saúde pública de Campo Grande. Além de Dorsa, as denúncias de desvio de recursos e direcionamento de recursos para o Hospital do Câncer, que era comandado pelo médico Adalberto Siufi, já derrubaram o diretor-presidente do Hospital Regional, Ronaldo Perches Queiroz, a secretária estadual de Saúde, Beatriz Dobashi, e o próprio Siufi do HC.

Jornal Midiamax