Geral

Dilma cobra resultados de ministros de olhos em eleições do ano que vem

A presidente Dilma Rousseff cobrou resultados e pressa na entrega de obras de infraestrutura de 15 ministros com os quais se reuniu extraordinariamente neste sábado, de olho nas eleições presidenciais de 2014, em que é virtualmente candidata à reeleição. “A presidente está comprometida com todos os programas anunciados e pediu empenho aos ministros de todas […]

Arquivo Publicado em 02/11/2013, às 22h58

None

A presidente Dilma Rousseff cobrou resultados e pressa na entrega de obras de infraestrutura de 15 ministros com os quais se reuniu extraordinariamente neste sábado, de olho nas eleições presidenciais de 2014, em que é virtualmente candidata à reeleição.

“A presidente está comprometida com todos os programas anunciados e pediu empenho aos ministros de todas as áreas. Isso tem a ver com resultados do governo”, afirmou a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, em declarações concedidas a jornalistas após as cerca de sete horas de reunião no Palácio da Alvorada.

Gleisi admitiu que os resultados foram cobrados em um momento que o governo tem que mostrar o cumprimento das promessas que fez e dos programas que anunciou.

“Um governo é eleito, organiza seus programas, assume compromissos com a população e tem que emprestar contas. Estamos em um momento de prestação de contas e de entrega (de obras)”, acrescentou a ministra.

Caso confirme sua disputa à reeleição, Dilma poderá participar de cerimônias oficiais de inauguração de obras até junho de 2014 para não violar a lei eleitoral.

Fontes do PT citadas pela imprensa admitiram que a intenção da chefe de Estado é concentrar nos dois últimos meses de 2013 e nos primeiros meses de 2014 a entrega de grande parte de centenas de obras que o governo executa em todo o país.

Segundo um comunicado divulgado pela presidência, na reunião com os ministros Dilma “quis saber do andamento e das condições dos programas e das entregas que deverão ser feitas para a população”.

No encontro, convocado de última hora em pleno feriado, participaram 15 dos 39 ministros, incluindo os responsáveis de ações sociais e obras de infraestrutura.

Dilma pediu que cada um apresentasse um balanço das obras de sua pasta e pediu que algumas sejam agilizadas para serem entregues à população, especialmente as que são reivindicações pelos protestos de junho.

Diante das manifestações por melhores serviços públicos que mobilizaram milhões de brasileiros em centenas de cidades, o governante se comprometeu com programas específicos, especialmente nas áreas de saúde, educação e mobilidade urbana.

A presidente “só quer que os resultados sejam mostrados. Está preocupada, perguntou especificamente por alguns programas como o “Mais Médicos” (que prevê o envio de médicos estrangeiros a áreas distantes e carentes)”, revelou o ministro de Comunicações, Paulo Bernardo.

Dilma, em mensagem publicada antes do encontro em sua conta no Twitter, se referiu à reunião como rotineira, mas admitiu sua preocupação com a demanda da população por melhores serviços públicos.

“Considero que governar é oferecer à população serviços públicos com cada vez mais qualidade e honrar a confiança que nos depositaram. Por isso, reuniões rotineiras como esta são importantes para coordenar os esforços dos ministérios”, disse.

Entre os ministros que estiveram no Palácio da Alvorada estavam os de Educação, Saúde, Minas e Energia, Desenvolvimento Agrário, Transportes, Meio Ambiente, Portos, Desenvolvimento Social, Integração Nacional, Planejamento, Comunicações e Cidades.

Jornal Midiamax