Geral

Depois de bolsas, empresária investe em tênis de malote em Campo Grande

A ideia começou meio que sem querer, na verdade, nem foi ela que imaginou. A empresária e jornalista Monique Klein conta que os tênis de malotes, novo produto da empresa “Campo Grande a Tiracolo”, surgiu depois que uma das chefes da incubadora Zé Pereira sugeriu que ela e outro rapaz que trabalha na incubadora fizessem […]

Arquivo Publicado em 06/10/2013, às 12h14

None
584300521.jpg

A ideia começou meio que sem querer, na verdade, nem foi ela que imaginou. A empresária e jornalista Monique Klein conta que os tênis de malotes, novo produto da empresa “Campo Grande a Tiracolo”, surgiu depois que uma das chefes da incubadora Zé Pereira sugeriu que ela e outro rapaz que trabalha na incubadora fizessem os tênis. “Eu já trabalhava com malotes, nas bolsas, e o Edson, da Pecora Confort, já fazia sapatos, ai ela disse: porque vocês dois não se juntam para fazer uns tênis”.

A partir daí a ideia começou a se vislumbrar e depois de alguns testes o que estava na imaginação se tornou real. Os tênis que tem tudo para agradar os fashionistas ecológicos são praticamente peças únicas. Eles são feitos na fábrica de sapatos e depois recebem um toque a mais de Monique. “Ai eu ponho uns carimbos (estêncil), personalizo e deixo cada tênis com uma cara diferente”.

O mesmo capricho e criatividade estão nas bolsas, que tem modelos dos mais variados para agradar a todos e ir para qualquer lugar. Tem bolsa de tiracolo, tipo sacola, tipo malote. O material também varia, vai de banner de propaganda a lonas de malote e de caminhão. “As de banner são perfeitas para ir ao supermercado, à piscina, porque não tem problema de molhar. São muito fáceis de limpar também”, conta Monique.

Os modelos e estilos são um estudo constante. Ela conta que toda vez que viaja e vê algo bacana aproveita e compra como referência. E assim as idéias e modelos vão surgindo e novas criações entram para a coleção.

A ideia das bolsas, inclusive, surgiu assim. Da vivência de Monique. Ela conta que em meados do ano 2000 estava fazendo uma pós-graduação em Imagem e Som e eles procuravam fazer coisas diferentes que saiam do clássico do jornalismo. “Procurávamos ver outras coisas, que saísse um pouco do nosso quadrado, que despertassem mais a poesia. Aí conheci outras coisas e comecei a fazer bolsas de tapeçaria”, revela.

O trabalho com a tapeçaria foi o início de tudo. Depois que se despertou para o lado ecológico se inscreveu em outra pós, esta de Educação Ambiental. E um dia quando foi em uma feira da incubadora Zé Pereira comprou uma bolsa de malote feita pelo pessoal do Moinho Cultural, de Corumbá.

A curiosidade de jornalista fez que descobrisse que os malotes dos Correios e bancos eram doados para as incubadoras. Ela então se inscreveu e começou a trabalhar. Isso foi em 2010 e de lá para cá o projeto só tem crescido e novas idéias surgido.

Quem quiser conhecer o trabalho verde da empresária pode procurar a loja-fábrica da “Campo Grande a Tiracolo”, no endereço rua Antonio da Silva Vendas, 172, Jardim Bela vista. O telefone para contato é 3349-1620.

Jornal Midiamax