Geral

Delcídio desconversa sobre nomeação de Chaves, mas admite que sabia do convite há dez dias

Delcídio do Amaral não deu total aprovação para que seu 1º Suplente assumisse a Secretaria Municipal de Governo. O senador foi consultado por Pedro Chaves sobre o convite de Bernal e limitou-se a dizer que seria um desafio difícil, e que poderia colocar em jogo a imagem de empresário de sucesso do amigo. Entretanto garante […]

Arquivo Publicado em 04/11/2013, às 23h17

None
173300101.jpg

Delcídio do Amaral não deu total aprovação para que seu 1º Suplente assumisse a Secretaria Municipal de Governo. O senador foi consultado por Pedro Chaves sobre o convite de Bernal e limitou-se a dizer que seria um desafio difícil, e que poderia colocar em jogo a imagem de empresário de sucesso do amigo. Entretanto garante que o deixou livre para a decisão.

“Não fiz nenhuma indicação para nomeação dele assim como não dei ao Pedro nenhuma negativa quanto a ele aceitar esse convite. Ele é um empresário de sucesso, muito preparado, alguém que possui todas as condições de avaliar o que isso representa pra ele. Há dias já manifestei a minha posição que não tenho uma participação direta na gestão do Alcides. Eu trabalho por Campo Grande, independente do prefeito”, fala Delcídio, que garante não fazer parte do seu perfil político definir a vida dos outros assertivamente, por se julgar uma liderança pela articulação.

Sem a mesma neutralidade do senador, O PT promoveu nesta segunda-feira (05) um novo encontro de sua cúpula para definir estratégias que tornem sustentável a gestão de Alcides Bernal (PP). No discurso que até já fala em legendas aliadas o líder do partido na Câmara Municipal não citou o PSC, que tem Pedro Chaves, como presidente de honra. O empresário é cotado pelo prefeito para substituir Gustavo Freire na Secretaria Municipal de Governo.

“Objetivo da reunião, rearticular a base de apoio dele na câmara, ampliar e fazer um governo de coalizão. Ele tem que se expressar passar a posição política dele. O governo do Bernal precisa ser reforçado na política. O PT não está reivindicando cargo, quer apenas que o PDT, PSD e PTB venha ao governo de uma forma republicana. Isso é básico para termos maioria na Câmara, condições de governar e não amargar derrotas”, relata Alex do PT.

Do escritório da Referencial Pesquisas, localizado na Rua da Paz, cinco integrantes de peso do PT seguiram para a Prefeitura. O encontro com Bernal tem o deputado federal, Vander Loubet, os secretários municipais, Thais Helena e Semy Ferraz, e os presidentes dos diretórios municipal e estadual do partido, Gildo de Oliveira e Marcos Garcia. Apenas o líder do prefeito na Câmara, Alex do PT, não seguiu.

Na mesma hora o Pedro Chaves foi visto entrando no Paço Municipal. O empresário não falou com a Imprensa e está com o celular desligado desde as 17h30. O PSC confirmou há duas horas que ele havia recebido o convite do prefeito para assumir a Secretaria de Governo, mas que dependeria de um consenso do partido para aceitar o desafio. Isso porque a vereadora da legenda na Câmara Municipal faz oposição a Bernal, Juliana Zorzo.

Jornal Midiamax