Geral

Cristo Redentor fica azul esta noite para celebrar 1 ano da escolha do Rio como Patrimônio Mundial

O Cristo Redentor, monumento eleito como uma das sete maravilhas do mundo contemporâneo, está iluminado de azul esta noite. O motivo é a celebração do Dia Municipal do Patrimônio, comemorado hoje (1º). A data foi instituída pela prefeitura carioca. Há exatamente um ano, a cidade recebeu da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 21h56

None

O Cristo Redentor, monumento eleito como uma das sete maravilhas do mundo contemporâneo, está iluminado de azul esta noite. O motivo é a celebração do Dia Municipal do Patrimônio, comemorado hoje (1º). A data foi instituída pela prefeitura carioca. Há exatamente um ano, a cidade recebeu da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) o título de Patrimônio Mundial como paisagem cultural urbana.


A iniciativa da iluminação especial do Cristo partiu do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), órgão da prefeitura, que também lançou, para celebrar a data, a segunda edição do concurso Rio em Cartaz. Aberto a estudantes e profissionais de design, arquitetura, belas artes, comunicação e áreas afins, o concurso vai distribuir R$ 20 mil em prêmios. As inscrições foram abertas hoje e vão até 16 de agosto.


“O título de Patrimônio Mundial nos possibilitou compreender a nossa paisagem cultural como um bem coletivo e com isso estimulou diversos órgãos a trabalharem em conjunto”, disse o presidente do IRPH, arquiteto Washington Fajardo.


No mês passado, o instituto lançou um programa inédito para estimular a preservação cultural e histórica da cidade. Com recursos de R$ 12 milhões, o programa vai apoiar projetos de restauração de imóveis preservados e tombados das áreas do Centro Histórico e do Porto do Rio de Janeiro.


Outra iniciativa do órgão foi o lançamento de um edital para a ocupação cultural e criativa dos imóveis de propriedade do município. O objetivo é dar ocupação imediata a prédios vazios ou em mau estado de conservação, promovendo, segundo o IRPH, a “regeneração urbana”.

Jornal Midiamax