Geral

CPI do Calote apresenta relatório parcial em reunião aberta nesta segunda

A partir das 14 horas desta segunda-feira (1), a CPI do Calote faz reunião aberta ao público para apresentar relatório parcial dos trabalhos. Relator da comissão, o vereador Elizeu Dionízio (PSL) analisou 10 caixas de documentos e irá detalhar as primeiras observações. Segundo adiantou ao Midiamax, o principal problema é a relação incompleta de documentos […]

Arquivo Publicado em 01/07/2013, às 14h11

None
1619395200.jpg

A partir das 14 horas desta segunda-feira (1), a CPI do Calote faz reunião aberta ao público para apresentar relatório parcial dos trabalhos. Relator da comissão, o vereador Elizeu Dionízio (PSL) analisou 10 caixas de documentos e irá detalhar as primeiras observações.


Segundo adiantou ao Midiamax, o principal problema é a relação incompleta de documentos encaminhados pela Prefeitura de Campo Grande. “Veio coisa solta e você não consegue cruzar as informações”, comentou. “Mas não vamos deixar isso atrapalhar os trabalhos”, emendou.


Apesar da dificuldade, Dionízio constatou a “preferência de pagamento a certas empresas e o descaso com outros contratos”. “É justamente essa metodologia que queremos entender”, frisou.


Ainda na reunião de hoje, o vereador irá defender busca e apreensão dos documentos na prefeitura. “A decisão é da presidência, mas eu, vereador Elizeu Dionízio, sou a favor de realizar a busca e apreensão de documentos e até de computadores se for preciso”, adiantou. Para ele, a medida é necessária, principalmente, depois de a CPI estender o prazo e, mesmo assim, a prefeitura não cumprir o acordado.


“O prefeito, ao meu ver, tem brincado com essa questão de prazo, para ele, acho que o direito não vale nada e ele brinca. Tem requerimento que está vencido há 80 dias e ele está brincando, achando que é mera formalidade, mas não é. Requerimento é função administrativa e, ele não respondendo, incorre em crime político-administrativo e cabe cassação de mandato”, alertou Dionízio.

Jornal Midiamax