Geral

Corintianos jogam futebol na prisão e fazem homenagem à vítima

Os 12 torcedores do Corinthians presos em Oruro acusados de participar da morte do jovem Kevin Beltran Espada, de 14 anos, durante partida da Libertadores, participaram de um jogo de futebol na prisão de San Pedro, onde estão na Bolívia. Eles vestiam camisetas com os dizeres “LIBERDADE 12 INOCENTES”. Os corintianos são acusados pela polícia […]

Arquivo Publicado em 31/03/2013, às 14h23

None
2137950823.jpg

Os 12 torcedores do Corinthians presos em Oruro acusados de participar da morte do jovem Kevin Beltran Espada, de 14 anos, durante partida da Libertadores, participaram de um jogo de futebol na prisão de San Pedro, onde estão na Bolívia. Eles vestiam camisetas com os dizeres “LIBERDADE 12 INOCENTES”.

Os corintianos são acusados pela polícia local de terem participado do disparo de um sinalizador, que acabou atingindo o jovem boliviano, torcedor do San José, que estava no estádio. A tragédia aconteceu no dia 20 de fevereiro, durante a partida da Copa Libertadores da América.

Cinco dias depois da morte, um menor de 17 anos, integrante da torcida organizada Gaviões da Fiel, se entregou à polícia brasileira assumindo ser autor do disparo. A confissão não mudou a situação dos corintianos presos na Bolívia.

Os corintianos presos na Bolívia reclamaram de maus tratos e constrangimento. Os relatos são do senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), que foi a Oruro, ver a situação dos torcedores. Segundo o senador, eles estão em um presídio com capacidade para 200 pessoas, mas que tem 1.500 detentos no momento.

“Acho que é uma situação muito mais diplomática, politica do que jurídica. O governo brasileiro precisa colocar isso na agenda. Precisamos de uma intervenção forte. Eles podem pelo menos exigir um presídio que garanta integridade física”, declarou o senador.

Jornal Midiamax