Geral

Corinthians ignora má fase do Palmeiras e pede respeito ao rival

O Corinthians, atual campeão mundial, vai enfrentar o recém-rebaixado Palmeiras, que vive nova crise interna após a saída do argentino Barcos. Na equipe de Tite, porém, o discurso de respeito ao rival dias antes do clássico parece até ensaiado, e repete a cartilha adotada pelo clube desde o ano passado. “O momento do Corinthains é […]

Arquivo Publicado em 13/02/2013, às 16h26

None

O Corinthians, atual campeão mundial, vai enfrentar o recém-rebaixado Palmeiras, que vive nova crise interna após a saída do argentino Barcos. Na equipe de Tite, porém, o discurso de respeito ao rival dias antes do clássico parece até ensaiado, e repete a cartilha adotada pelo clube desde o ano passado.



“O momento do Corinthains é melhor, não tem como esconder, mas eu cansei de ganhar quando o outro era favorito e perder quando eu era favorito. Tem de respeitar o momento do adversário que é difícil, mas quando entra em campo, o clássico é uma motivação a mais”, disse Fábio Santos, em entrevista coletiva.



“A situação é difícil. É um time muito grande. É uma pena, porque é um time de respeito. Às vezes dentro de campo as coisas não ficam legais, nada dá certo e acaba acontecendo isso”, disse Cássio na última terça, referindo-se ao que vem acontecendo com o Palmeiras recentemente.



O discurso não é apenas da boca para fora. No ano passado, o Palmeiras já estava ameaçado pelo rebaixamento quando perdeu por 2 a 0 para o Corinthians no Pacaembu. Na ocasião, os atletas foram alertados para jogarem com respeito ao adversário, sem provocações ou menosprezo. Desta vez, a expectativa é que a tática seja repetida.



“Ainda não falamos muito sobre domingo, até porque o Tite vai fazer trabalho com bola só a partir de hoje [quarta]. Mas isso é característica da nossa equipe. Já passamos por momentos assim também, é importante respeitar os profissionais do outro lado. Já tínhamos esse discurso no ano passado e vamos manter o mesmo discurso neste ano”, disse Fábio Santos.



Na ocasião, a única provocação alvinegra que fugiu do controle da direção e da comissão técnica partiu do Twitter. Fora do jogo, suspenso, Emerson postou a mensagem “Que dó, que dó da formiguinha” na rede social, e chegou a ser alertado pelos chefes após o episódio ganhar repercussão.


Jornal Midiamax