Geral

Comissão inicia estudos para garantir abono salarial de servidores da educação

A comissão formada pelos servidores públicos municipais Pedro Felix de Souza, Rodolfo Carlos Ferreira, Marco Antonio de Aguiar Rosa e Maria das Dores Rocha, que dará andamento ao ProFuncionario (Programa Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas Ensino Público) já iniciou os trabalhos. Até fim de março o grupo deve apresentar o […]

Arquivo Publicado em 15/02/2013, às 14h02

None
2081753136.jpg

A comissão formada pelos servidores públicos municipais Pedro Felix de Souza, Rodolfo Carlos Ferreira, Marco Antonio de Aguiar Rosa e Maria das Dores Rocha, que dará andamento ao ProFuncionario (Programa Inicial em Serviço dos Profissionais da Educação Básica dos Sistemas Ensino Público) já iniciou os trabalhos. Até fim de março o grupo deve apresentar o levantamento à prefeitura e indicar quem são os funcionários que têm direito ao adicional salarial de 20%. O benefício é pago aos administrativos da Semed (Secretaria Municipal de Educação) e foi suspenso porque o programa venceu em 31 de dezembro.

Marco Antonio de Aguiar explica que o complemento salarial era pago a todos os funcionários que participaram dos cursos de qualificação oferecidos no programa. Contudo, como o convênio venceu o adicional foi suspenso. A nova administração, explica Aguiar, quer regulamentar o benefício, ou seja, incorporá-lo ao salário. Com isso, o servidor quando se aposentar continua recebendo o dinheiro. “O prefeito Alcides Bernal (PP) quer pagar, e quer mais, ele quer regulamentar o benefício, tornando-o permanente”, disse.

Os meses sem receber o complemento, enquanto o grupo finaliza os estudos, são compensados com a regulamentação do auxílio. “Vamos poder contar com esse dinheiro. Antes quando um servidor ficava doente, e entrava com atestado por mais de 16 dias perdia o ganho. Agora não, vai ser definitivo”, comemora.

A mudança deve inclusive melhorar o atendimento a população. Já que muitos funcionários que ainda não aderiram ao programa pela incerteza de recebimento devem se qualificar. E com isso, os trabalhos dos servidores mais eficientes.

Jorge Aparecido Martins Dantas, agente de atividades educacionais, participou da primeira turma do ProFuncionario. Ele conta que muitos colegas desistiram da qualificação porque não viam benefício no curso. Para Jorge, a incorporação no salário vai mudar essa visão. “Muitos desistiam porque não havia garantias”, diz.

O servidor afirma que o curso o ajudou nas rotinas do trabalho e fez com que ele aproveitasse melhor o material disponível para o desenvolvimento das atividades. Além de tê-lo ajudado na convivência com os colegas, já que trocam ideias e expectativas que refletem diretamente na melhoria do serviço.

A Comissão

A comissão foi designada pelo prefeito Alcides Bernal. O secretário municipal de Administração, Ricardo Trefzger Ballock, vai coordenar os trabalhos dos servidores públicos municipal. O decreto que institui a comissão foi publicado ontem (14) no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Jornal Midiamax