Geral

Comerciantes pedem agilidade na revitalização de trecho da Júlio de Castilho

O processo de revitalização da avenida Júlio de Castilho foi retomado e, por isso, o trecho entre as ruas Ponta Porã e Miranda, no sentido centro/bairro, foi interditado na manhã de hoje (25). Com os transtornos causados pela obra, como desvios de rota e poeira acumulada, moradores e comerciantes pedem agilidade da prefeitura. Segundo a Associação Comercial de Campo […]

Arquivo Publicado em 25/03/2013, às 16h51

None
211841014.jpg

O processo de revitalização da avenida Júlio de Castilho foi retomado e, por isso, o trecho entre as ruas Ponta Porã e Miranda, no sentido centro/bairro, foi interditado na manhã de hoje (25). 

Com os transtornos causados pela obra, como desvios de rota e poeira acumulada, moradores e comerciantes pedem agilidade da prefeitura. Segundo a Associação Comercial de Campo Grande (ACICG), a avenida Júlio de Castilho é o segundo ponto comercial mais movimentado da Capital, e só fica atrás de Centro da cidade.

Conforme o vendedor de uma loja de tintas, Gilvam de Sousa Reis, as vendas começaram a cair mesmo antes de trecho em frente à loja em que trabalha ser interditado. “Quando começaram a mexer aqui na Júlio, começamos a perder uns R$ 4 mil por mês. Só quero ver como vai ser a partir de agora, com a rua bem em frente a loja fechada. Espero que isso acabe rápido”.

O vendedor de pastéis, Seite Ito, reclama que, sem ter onde estacionar, os fregueses vão deixar o “cafézinho” para outro lugar. “Eles passam por aqui, vêem que não têm onde parar, e seguem em frente, procurando outro lugar. 

Já Ana Maria Batista, proprietária de uma lanchonete, acredita que ter paciência pode valer a pena. “Pelo menos não vai mais ter aquela sujeira que acumula com a correnteza quando chove. Aonde já mexeram, vi que ficou bom, então esperava que chegasse aqui. Faz sujeira, mas vale ter um pouco de paciência”, diz. 

Previsão da prefeitura é que obre termine em 15 dias 

A previsão da prefeitura é de que as obras sejam concluídas em 15 dias. Estão previstos recapeamento asfáltico, rede de drenagem, colocação do canteiro central, postes de iluminação e conserto de calçadas. 


O secretário de Infraestrutura de Campo Grande, Semy Ferraz, explica que, conforme agenda, o trabalho de revitalização da avenida já deveria ter começado, mas, foi adiado por causa das chuvas. “Agora que as chuvas diminuíram, podemos dar continuidade, e a expectativa é de que vamos concluir no prazo previsto, se não houver chuvas fortes”, esclarece.

As obras deveriam ter acabado em setembro do ano passado. Conforme a secretaria de Infraestrutura, ainda falta cerca de 1 quilômetro para conclusão. A expectativa é concluir todo o processo em julho deste ano.

Semy Ferraz reforça que apenas um sentido da via foi interditado, para não prejudicar o acesso ao local.


Desvio


A rota alternativa para quem transita pelo trecho são as ruas Jerusalém, Miranda e Ponta Porã. Os ônibus que passam pela avenida, podem ser tomados na rua Jerusalém. Os ônibus entram à esquerda na  rua Miranda, e novamente à esquerda na rua Jerusalém, onde segue para o Terminal Júlio de Castilhos.



Jornal Midiamax