Geral

Com férias escolares, ônibus de reforço são recolhidos e coletivos continuam lotados

Tumulto continua nos pontos de ônibus de Campo Grande e passageiros reclama da redução no número de veículos.

Arquivo Publicado em 20/12/2013, às 16h30

None
866950974.jpg

Tumulto continua nos pontos de ônibus de Campo Grande e passageiros reclama da redução no número de veículos.

Apesar da redução de passageiros no transporte coletivo de Campo Grande durante as férias escolares, a população continua a reclamar de superlotação e demora dos ônibus. De acordo com dados da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), no período de 16 de dezembro de 2013 a 03 de fevereiro de 2014, há redução de 28 veículos de reforço da frota nos horários de entrada e saída dos alunos.

Normalmente, são transportados diariamente 295 mil usuários na Capital, em 520 veículos. Com as férias, 45 mil alunos deixam de utilizar os ônibus. O número representa 18% menos usuários no transporte coletivo.

Mesmo com o número significativo, para a população a redução na frota é mais sentida que a de passageiros. A professora, Fátima Aparecida Rodrigues, 29 anos, discorda da retirada dos reforços nesta época do ano.  “Realmente diminui o número de alunos, mas muita gente vem para o centro por conta das compras de Natal. Num balanço geral continua cheio e demorado, pois o trânsito também aumenta e reflete no ônibus”, afirma.

Para o arte-finalista, Silvio Ribeiro de Abreu, 20 anos, as datas festivas também exigem reforço no transporte. “Acaba ficando na mesma”, lamenta.  A aposentada Odenilza Domingues Vera, 64 anos, sentiu a piora do transporte coletivo. “Está mais demorado com o começo das férias e o ônibus continuam cheios”, afirma.

O aposentado Arnaldo Rios, 60 anos, discorda que tenha havido piora no transporte neste período, embora ainda não esteja satisfeito. “Para mim está a mesma coisa e não vai mudar”, afirma desacreditado.

 A Agetran argumenta que a retirada de 28 ônibus de reforço nos horários de pico, durante as férias representa apenas 1% da quilometragem diária. Conforme o órgão, 10% do número total de veículos, 520, é destinado para reforço em casos de necessidade, totalizando uma frota de 572 ônibus.

Jornal Midiamax