Geral

Cerca de 75% das escolas de MS estão paradas; greve será mantida em 2014 se Governo não negociar

Cerca de 75% das escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul pararam as atividades hoje em todo o Estado. Em Campo Grande 90% das escolas estão com os trabalhos paralisados. Na manhã desta terça-feira (3), 400 representantes dos trabalhadores em educação de MS se reunirão na sede da FETEMS (Federação dos […]

Arquivo Publicado em 03/12/2013, às 15h40

None

Cerca de 75% das escolas da Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul pararam as atividades hoje em todo o Estado. Em Campo Grande 90% das escolas estão com os trabalhos paralisados.


Na manhã desta terça-feira (3), 400 representantes dos trabalhadores em educação de MS se reunirão na sede da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) e para decidirem quais as próximas ações a serem tomadas e, após saíram em carreata até a Assembleia Legislativa de Mato grosso do Sul.


Na Casa de Leis o presidente da FETEMS, Roberto Botareli subiu a tribuna e pediu aos deputados que não votem o Projeto de Lei sobre a política salarial para o magistério.


Até o início da tarde a categoria vai finalizar e decidir qual será a definição para a paralisação. Segundo a assessoria da FETEMS já está decidido que os professores não iniciarão as atividades do ano letivo, caso o governo não negocie com a categoria.


Proposta
Segundo a assessoria da FETEMS a categoria negociava com o governo desde agosto, para que fosse implementada a nova política salarial para os professores em um prazo de três anos. Porém, o governo recuou nas negociações, apresentando contra proposta de oito anos a partir de 2015.


A intenção dos professores é que no final deste período de três anos, o piso no Estado atingisse o piso nacional por 20 horas. Atualmente, são pagos R$ 1.810,05 por 40 horas. A ideia é que seja pago o mesmo valor por metade das horas trabalhadas como forma de valorização dos profissionais.

Jornal Midiamax