Geral

Ceni falha, mas Ganso salva e São Paulo bate Ituano no Morumbi

O São Paulo sofreu mais do que o esperado, viu Rogério Ceni cometer uma falha grotesca e a torcida esboçar certa insatisfação com alguns jogadores. Ainda assim, o time tricolor viu o meia Paulo Henrique Ganso sair do banco de reservas, marcar de cabeça aos 43min do segundo tempo e garantir a vitória apertada por […]

Arquivo Publicado em 16/02/2013, às 23h50

None

O São Paulo sofreu mais do que o esperado, viu Rogério Ceni cometer uma falha grotesca e a torcida esboçar certa insatisfação com alguns jogadores. Ainda assim, o time tricolor viu o meia Paulo Henrique Ganso sair do banco de reservas, marcar de cabeça aos 43min do segundo tempo e garantir a vitória apertada por 3 a 2 sobre o Ituano, pela oitava rodada do Campeonato Paulista.




Sem poder contar com Paulo Miranda, com problemas físicos, Ney aproveitou para escalar Douglas na lateral direita e dar nova chance a Aloísio pela ponta. A novidade ficou por conta da saída do criticado Rhodolfo, barrado para a entrada de Toloi ao lado de Lúcio. Mesmo assim, o São Paulo não teve o domínio completo do jogo contra um disciplinado Ituano, com boa marcação e jogadores de qualidade na frente.



O São Paulo evitou o tropeço em casa apenas nos minutos decisivos, quando Ney Franco arriscou colocar Ganso em campo e manter Jadson, em um esquema com dois jogadores de armação. E foi justamente o camisa 8 quem apareceu na área para escorar cruzamento de Osvaldo da esquerda e decretar a vitória no Morumbi.



O triunfo deste sábado deixou o São Paulo com 13 pontos ganhos, na zona de classificação para as quartas de final – mesmo com um ou dois jogos a menos em relação aos demais rivais. O Ituano, por sua vez, seguiu estacionado nos nove pontos e ficou em 13º.



Sufoco no Morumbi



Aos 3min, o Ituano deu mostras de que, apesar da perspectiva de o São Paulo ter maior controle do jogo, também poderia ameaçar. Foi o que aconteceu na boa chegada à área do meio-campista Cambará. Com espaço, ele finalizou e exigiu boa defesa de Rogério Ceni. Depois do susto, a equipe são-paulina se organizou em campo e colocou domínio durante boa parte dos 45 minutos iniciais.



Criticado pelo início de temporada abaixo em relação a 2012, Wellington arrancou com pesonalidade, invadiu a área e passou a Aloísio, que serviu Osvaldo – o atacante se atrapalhou e desperdiçou a chance. Pouco depois, aos 18min, o São Paulo sairia em vantagem. Denílson clareou no meio, Jadson achou Osvaldo entre a zaga e, no domínio, ele ganhou da marcação e chutou rasteiro, sem chances para o goleiro Anderson.



O gol animava o São Paulo, que criava com tranquilidade e parecia pronto para ampliar, até que um imprevisto surgiu para Rogério Ceni. Despretensiosamente, aos 18min, Kleiton Domingues arriscou de longe. Fraco e pouco acima do chão. Ceni, pouco concentrado, pulou na bola e deixou passar para permitir também o empate ao Ituano. O capitão são-paulino ficou desconsolado, pediu desculpas e teve o nome gritado pela arquibancada.



Cinco minutos depois, Ceni teve a chance da redenção, mas a sorte não estava a seu lado mais uma vez. Em cobrança de falta, ele colocou com extrema precisão, mas a bola caprichosamente explodiu no travessão. O São Paulo pareceu sentir a igualdade inesperada e apagou nos minutos finais da primeira etapa. Aos 45min, completamente livre, Thiago Bezerra ficou à frente de Rogério e finalizou firme. Parado, o goleiro só viu a bola passar ao lado do gol.



Se não trouxe grandes melhoras à equipe do São Paulo, o intervalo ao menos aumentou a tranquilidade e a sorte. Já com 5min, em cobrança de falta de longe, Jadson colocou na área, Lúcio quase encostou e Anderson, imóvel, só viu a bola morrer no fundo das redes. A equipe são-paulina assumiu o controle do jogo, principalmente depois que Maicon assumiu o lugar de Wellington no meio-campo. Lúcio, que tinha cartão amarelo, também saiu para a entrada de Rhodolfo.



Em seu primeiro lance, Maicon carregou, fez a finta e teve boa chance para concluir, mas errou. Na sequência, foi a vez de Douglas arrancar, invadir a área e quase fazer de esquerda. Luís Fabiano, ainda mais livre no rebote, chutou para longe. Ansioso para ampliar a vantagem, o São Paulo cochilou atrás e foi castigado pelo Ituano. Com espaço para o contragolpe, a equipe visitante chegou ao empate em jogada às costas de Cortez que Adaílton, livre na área, concluiu de pé esquerdo aos 27min.



Ney Franco acionou Paulo Henrique Ganso, que já se preparava para entrar, e tirou Aloísio de campo. A chance do terceiro gol, porém, foi do Ituano. Fernando Gabriel apareceu com espaço na área e, com finalização venenosa, fez Rogério Ceni apenas torcer.



Ainda assim, Ganso justificou a presença em campo e apareceu bem na área, surpreendendo a defesa do Ituano após o cruzamento de Osvaldo. O camisa 8 subiu bem e cabeceou firme, no canto do goleiro Anderson, evitando uma decepção no Morumbi.


Jornal Midiamax