Geral

Casal gay agredido em SP reconhece skinheads, mas não os denuncia

A Polícia Civil liberou dois skinheads suspeitos de agredir um casal gay na rua Augusta, região central de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (6). De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), as duas vítimas, dois homens de 35 e 23 anos, chegaram a reconhecer um homem e uma mulher […]

Arquivo Publicado em 06/11/2013, às 14h39

None

A Polícia Civil liberou dois skinheads suspeitos de agredir um casal gay na rua Augusta, região central de São Paulo, na madrugada desta quarta-feira (6).


De acordo com a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública de São Paulo), as duas vítimas, dois homens de 35 e 23 anos, chegaram a reconhecer um homem e uma mulher como seus agressores, mas optaram por não representar contra eles. Na mochila de um dos detidos havia um bastão de madeira com pregos nas pontas e uma arma de artes marciais conhecida como nunchacku.


A agressão foi registrada por volta das 4h quando o casal, segundo das vítimas à polícia, se despedia com um beijo em frente a um bar. A partir disso, disseram, foram atacados e agredidos pelo grupo de skinheads.


O casal teve ferimentos na cabeça e foi atendido no Pronto-Socorro da Santa Casa. De volta à delegacia, no 78º DP (Jardins), onde registraram o boletim de ocorrência, reconheceram os dois agressores entre quatro detidos na rua Augusta, mas não quiseram representar contra eles por injúria e lesão corporal. Os detidos foram liberados.


O caso foi registrado no 78º Distrito Policial (Jardins), onde o inquérito foi instaurado. Segundo a SSP-SP, as vítimas têm até seis meses para representar contra os suspeitos. Se desistirem, o caso é arquivado.

Jornal Midiamax