Geral

Câmara de Dourados vota criação de cargos para Coordenadoria Indígena

A Câmara de Vereadores de Dourados vota durante a sessão ordinária desta terça-feira, um projeto de lei do executivo que permite a criação de cargos comissionados para composição da Coordenadoria Especial de Assuntos Indígenas idealizada pelo parlamentar Aguilera de Souza. Em contato com a reportagem, o vereador afirmou que aguarda o resultado da votação para […]

Arquivo Publicado em 25/06/2013, às 15h20

None

A Câmara de Vereadores de Dourados vota durante a sessão ordinária desta terça-feira, um projeto de lei do executivo que permite a criação de cargos comissionados para composição da Coordenadoria Especial de Assuntos Indígenas idealizada pelo parlamentar Aguilera de Souza. Em contato com a reportagem, o vereador afirmou que aguarda o resultado da votação para dar início aos trabalhos.

“A Coordenadoria é uma entidade única que vem com o objetivo de mudar a realidade local dos índios, e está sendo desenvolvida dentro dos rigores da lei. Se tudo ocorrer como planejado, em 1° de Julho vamos começar a caminhada, lembrando que já temos assessores fazendo levantamentos sobre as demandas da aldeia, a fim de agilizar os trabalhos”, destacou.

Segundo Aguilera o quadro de funcionários será composto, em sua maioria, por membros da comunidade indígena. “Queremos gente qualificada que tenha conhecimento técnico e também saiba como é a vida dentro das aldeias, por isso, vamos dar preferência por representantes indígenas que atuam como biólogos, agrônomos, professores, desportistas, entre outros”, disse.

Em abril o executivo e o legislativo aprovaram o projeto de fundação da Coordenadoria elaborado por Aguilera. A instituição será instalada em um prédio com dez salas do Núcleo de Atendimentos Múltiplos (NAM) da Unigran, localizado na Aldeia Jaguapirú; um ponto de acesso também será implantado na Bororó. “Tudo para aumentar a abrangência dos atendimentos. Os distritos e acampamentos da região também serão alvos de nossas ações. Pela primeira vez teremos algo assim no país”, explicou.

Jornal Midiamax