Geral

Brasil tem supremacia financeira nunca vista na Libertadores

No futebol de hoje, em que o dinheiro nunca foi tão decisivo para isolar favoritos e segregar forças coadjuvantes, o Brasil larga na edição 2013 da Libertadores diante de uma inédita oportunidade de supremacia na história da competição. Com os cinco elencos mais caros do torneio, o país pode alcançar pela primeira vez desde 1960 […]

Arquivo Publicado em 13/02/2013, às 18h10

None
459275459.jpg

No futebol de hoje, em que o dinheiro nunca foi tão decisivo para isolar favoritos e segregar forças coadjuvantes, o Brasil larga na edição 2013 da Libertadores diante de uma inédita oportunidade de supremacia na história da competição. Com os cinco elencos mais caros do torneio, o país pode alcançar pela primeira vez desde 1960 a marca de quatro títulos consecutivos.



Vencedor de 2012, o Corinthians puxa a lista de favoritos brasileiros, que também conta com o campeão brasileiro Fluminense, além de São Paulo, Grêmio e Atlético-MG. Todos estes turbinaram seus elencos já fortes com reforços caros na aposta pelo título mais cobiçado do continente. A exceção inicial é o Palmeiras, em instante de delicada reestruturação.



A sequência atual de conquistas brasileiras na Libertadores (Inter-2010, Santos-2011 e Corinthians-2012) empata com a série dos anos 90 (Cruzeiro-1997, Vasco-1998 e Palmeiras-1999), em outro momento de alta do futebol brasileiro. Desta forma, um novo êxito em 2013 oferecerá ao país uma quadra inédita que o país não foi capaz de registrar nem nos tempos de Pelé, de Zico ou de Telê Santana.



De acordo com um estudo da Pluri Consultoria, o Brasil tem os cinco elencos mais caros da Libertadores 2013 [Grêmio em 5º, então ainda sem Barcos e André Santos]. Dos oito primeiros da lista, seis pertencem ao país, com apenas os argentinos Boca Juniors e Velez Sarsfield como intrusos.



Outro levantamento recente da Pluri Consultoria lista os 30 jogadores mais valiosos da Libertadores deste ano, e o Brasil apresenta nada menos do que 19 nomes na relação [Casemiro, em 29º lugar, ainda não havia sido negociado do São Paulo ao Real Madrid].



Doze jogadores de times brasileiros encabeçam a lista dos atletas mais caros da Libertadores 2013, em uma das demonstrações de poder dos times do país na briga pelo título do ano.



O primeiro da lista é Alexandre Pato, que custou R$ 40 milhões aos cofres do atual campeão da Libertadores. O Corinthians também trouxe Renato Augusto da Alemanha [o 6º da relação], que ajuda a fortalecer um elenco que já terminara a última temporada valorizado.



O campeão brasileiro Fluminense não gastou com nenhum reforço de impacto para 2013, mas manteve a força do elenco de 2012, vasto e de qualidade, com nomes como Fred, Deco, Cavalieri e Rafael Sobis. O time de Abel Braga contratou peças pontuais para completar o grupo, como o veterano Felipe.



Mas talvez a maior demonstração de ambição financeira entre os brasileiros tenha sido oferecida pelo Grêmio. O time de Vanderlei Luxemburgo, que passou pela etapa eliminatória diante da LDU, marca a estreia da nova arena com uma lista de reforços de peso: Barcos, Vargas, Cris, Dida, André Santos, entre outros. Esses nomes rodados inflacionam a folha salarial gaúcha e se juntam a outras figuras experimentadas como Zé Roberto, Kléber e Elano.



No elenco badalado do São Paulo, o principal reforço veio ainda no fim de 2012, com os R$ 23,8 milhões desembolsados por Paulo Henrique Ganso. O tricampeão da Libertadores espera que a promessa do futebol nacional finalmente vingue ao longo do torneio, ao lado de Rogério Ceni, Luís Fabiano e companhia.



De volta à Libertadores depois de 13 anos, o Atlético-MG conseguiu manter Ronaldinho e ainda repatriou o atacante Diego Tardelli, por cerca de R$ 14 milhões.



Na contramão dos investimentos brasileiros, apenas o Palmeiras. O campeão da Copa do Brasil ainda luta para erguer um elenco para a disputa de ano, em que conciliará com o início na batalha na Série B.


Jornal Midiamax