Geral

Brasil pode ficar sem campeão no UFC daqui a três meses

O Ultimate Fighting Championship (UFC) fez nesta terça-feira um anúncio que empolgou a torcida brasileira: José Aldo e Renan Barão vão lutar no mesmo evento para tentar defender seus cinturões. Porém, na prática o evento em Nova Jersey pode consolidar a má fase do MMA nacional: daqui a três meses, em 1º de fevereiro de […]

Arquivo Publicado em 01/11/2013, às 11h54

None

O Ultimate Fighting Championship (UFC) fez nesta terça-feira um anúncio que empolgou a torcida brasileira: José Aldo e Renan Barão vão lutar no mesmo evento para tentar defender seus cinturões. Porém, na prática o evento em Nova Jersey pode consolidar a má fase do MMA nacional: daqui a três meses, em 1º de fevereiro de 2014, é possível que não haja sequer um brasileiro campeão do UFC.


Companheiros de treino na Academia Nova União, Aldo e Barão são os únicos brasileiros campeões no UFC atualmente, o que comprova como a maior organização de MMA do mundo fez uma aposta arriscada ao colocar os dois no mesmo card. Eles estão invictos desde 2005 e têm dominado suas respectivas categorias, mas verão adversários duros pela frente.


Ricardo Lamas, o adversário de Aldo, tem um estilo de luta completo e está invicto no UFC, com quatro vitórias consecutivas. Pesa contra a ele apenas o tempo inativo – não luta desde janeiro deste ano. Já Barão terá pela frente outro campeão – Dominick Cruz possui o cinturão linear dos pesos galos, mas estava lesionado desde 2011 e por isso foi criado o cinturão interino, que está nas mãos do brasileiro.


Antes de Aldo e Barão lutarem, o Brasil torcerá por outro brasileiro em busca de um cinturão: em 28 de dezembro, Anderson Silva fará sua revanche contra Chris Weidman, após perder o título em julho deste ano. Se vencer, além de recuperar o título dos pesos médios, ele tirará dos ombros de Aldo e Barão o peso de “salvar” o Brasil no UFC.


Há ainda um outro brasileiro com chances de ser campeão em breve, mas apenas depois de 1º de fevereiro: o mineiro Glover Teixeira vai encarar o campeão Jon Jones e buscar o cinturão dos meio-pesados. Presidente do UFC, Dana White já disse que o combate só acontecerá em março ou abril.


Outros brasileiros que poderiam ser campeões do UFC decepcionaram neste ano. O principal deles, Junior Cigano, foi massacrado recentemente por Cain Velasquez, perdeu a trilogia e dificilmente terá outra chance de lutar pelo título a curto prazo. Há pelo menos um consolo: Fabrício Werdum é o próximo desafiante do americano, em luta que só deve acontecer no meio do ano que vem.


Outra decepção recente veio com Demian Maia, que estava perto de lutar pelo cinturão dos pesos meio-médios. Para isso bastava ele sair com uma vitória “em casa”, no UFC Barueri, mas a derrota controversa para Jake Shields o afastou do topo da categoria dominada por Georges Saint-Pierre.


Em outras categorias faltam esperanças reais para o Brasil ter novos campeões. Rafael dos Anjos, com cinco vitórias seguidas entre os pesos leves, terá que esperar pelo menos o combate entre o campeão Anthony Pettis e Josh Thomson, em dezembro, para talvez ser anunciado como novo desafiante. E entre os pesos moscas John Lineker está com quatro vitórias consecutivas, mas o fato de não conseguir bater o peso ideal antes das lutas faz com que ele fique longe da disputa pelo cinturão.

Jornal Midiamax