Geral

Brasil chega como azarão e sem pressão na final, diz técnico do handebol

Um dos responsáveis pelo sucesso da seleção brasileira feminina de handebol, o técnico da equipe, o dinamarquês Morten Soubak, colocou todo o favoritismo nas costas da anfitriã Sérvia na final do Mundial da categoria, neste domingo (22). Nesta sexta, o Brasil venceu a Dinamarca por 27 a 21, na semifinal, e alcançou a final do […]

Arquivo Publicado em 21/12/2013, às 11h46

None
655184428.jpg

Um dos responsáveis pelo sucesso da seleção brasileira feminina de handebol, o técnico da equipe, o dinamarquês Morten Soubak, colocou todo o favoritismo nas costas da anfitriã Sérvia na final do Mundial da categoria, neste domingo (22).


Nesta sexta, o Brasil venceu a Dinamarca por 27 a 21, na semifinal, e alcançou a final do Mundial de Handebol pela primeira vez. As mulheres também garantiram ao país uma medalha inédita no principal campeonato do esporte depois dos Jogos Olímpicos.


Em entrevista à imprensa dinamarquesa após o jogo, Soubak não teve dúvidas ao colocar a Sérvia, que bateu a Polônia na semifinal, como favorita, apesar de o Brasil ser a única equipe invicta do Mundial.


“Vai ser uma experiência completamente diferente da que tivemos contra a Dinamarca. Nós derrotamos a Sérvia na primeira fase [vitória por 25 a 23, no último dia 10], em Nis, mas agora jogaremos diante de 20 mil torcedores em Belgrado. Nós somos os azarões. Para mim, a pressão está sobre os ombros das jogadoras sérvias”, disse Soubak ao jornal dinamarquês BT.


O treinador foi contratado pela CBHb (Confederação Brasileira de Handebol) em 2009, e desde então a seleção evoluiu. No Mundial de 2009, em São Paulo, e nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, a equipe feminina foi eliminada nas quartas de final. O handebol também passou a receber mais investimento de patrocinadores e do governo federal.


O bom trabalho de Soubak também foi destacado na imprensa dinamarquesa. “Apesar da derrota da seleção, a participação da Dinamarca na final está garantida. De sua posição firme no banco brasileiro, Morten Soubak comandou a tática das sul-americanas”, escreveu o BT, que destacou o “feito histórico” do dinamarquês com o Brasil.


Já Kristina Kristiansen, jogadora da Dinamarca, se rendeu à atuação das brasileiras. “Elas foram melhores do que nós. Neste caso, perder não é nenhuma vergonha.”


A final entre Brasil e Sérvia acontece neste domingo às 14h15 (horário de Brasília).

Jornal Midiamax