Geral

Bolívia acusa EUA de orquestrarem aterrissagem forçada de avião presidencial

O ministro da Defesa da Bolívia, Rubén Saavedra, acusou nesta terça-feira os Estados Unidos de estarem por trás da aterrissagem forçada em Viena do avião oficial do presidente, Evo Morales. “Isto foi orquestrado, arranjado pelo Departamento de Estado americano, que, utilizando alguns países europeus, provocou esta situação, com a suspeita que no avião presidencial estivesse […]

Arquivo Publicado em 02/07/2013, às 23h29

None

O ministro da Defesa da Bolívia, Rubén Saavedra, acusou nesta terça-feira os Estados Unidos de estarem por trás da aterrissagem forçada em Viena do avião oficial do presidente, Evo Morales.

“Isto foi orquestrado, arranjado pelo Departamento de Estado americano, que, utilizando alguns países europeus, provocou esta situação, com a suspeita que no avião presidencial estivesse o senhor Snowden”, disse Saavedra à Agência Efe em Viena.

O responsável de Defesa se referia aos rumores que o ex-técnico da CIA, Edward Snowden, que se encontra na área de trânsito do aeroporto de Moscou há nove dias, estivesse a bordo do avião oficial do presidente da Bolívia, algo que tanto Morales como o próprio Saavedra desmentiram categoricamente.

“O que queremos é denunciar a atitude abusiva, prepotente e discriminatória das autoridades do governo da França, especialmente, e também de Portugal, que não permitiram que o avião presidencial do Estado boliviano pudesse cumprir seu itinerário”, declarou Saavedra.

“Parece uma atitude condenável, um ato discriminatório contra a Bolívia e o presidente Evo Morales”, acrescentou o ministro.

“Rejeitamos isso categoricamente, nunca esteve, nunca passou por nossas cabeças, nunca pensamos em realizar esse tipo de ação. Nós somos muito respeitosos com as normas do direito internacional”, destacou Saavedra sobre a possibilidade de levar Snowden no avião presidencial.

Jornal Midiamax